Saúde

Critérios para segunda fase da vacinação contra Covid-19 são divulgados

A vacinação não será realizada através de drive-thru, mas sim por agendamento nas unidades de saúde.

Foto: Luis Lima Jr / Folhapress

O Governo do Estado de Santa Catarina publicou, nesta segunda-feira, 3, a Nota Técnica nº 16 que orienta as Secretarias Municipais de Saúde sobre a continuidade da Campanha de Vacinação contra a Covid-19. O documento, além de orientar sobre o manejo para profissionais de vacinação, define as prioridades do próximo grupo a ser vacinado.

Na fase I, deverão ser ser vacinados, de acordo com o quantitativo de doses a ser disponibilizado, os grupos prioritários: de pessoas com Síndrome de Down, independente da idade (18 a 59 anos), pessoas com doença renal crônica em terapia de substituição renal (diálise), independente da idade (18 a 59 anos), pessoas transplantadas de órgão sólido ou de medula óssea, independente da idade (18 a 59 anos), gestantes e puérperas com comorbidades (conforme elencadas no documento) independente da idade (maiores de 18 anos), pessoas com Deficiência Permanente cadastradas no Programa de Benefício de Prestação Continuada (BPC), independente da idade (18 a 59 anos) e pessoas com Comorbidades e Deficiência Permanente de 55 a 59 anos.

Já na fase II, deverão ser vacinados, de forma proporcional, de acordo com o quantitativo de doses a ser disponibilizado, o grupo de pessoas com comorbidades, pessoas com deficiência permanente, gestantes e puérperas independentemente de condições pré-existentes considerando os critérios de priorização por faixa etária: de 54 a 50 anos, de 49 a 45 anos, de 44 a 40 anos, de 39 a 35 anos, de 34 a 30 anos e de 29 a 18 anos.

Desta vez, a vacinação não será realizada através de drive-thru. As pessoas que se encaixam nas descrições das fases I e II poderão procurar as suas unidades de saúde, assim que houver a divulgação da chegada das doses, para marcar a imunização.

É importante lembrar que haverá vacina para todos, já que estão registradas as unidades de saúde 23 pessoas com Síndrome de Down, 5 transplantados, 75 gestantes e puérperas com comorbidades, 116 deficientes graves cadastrados no BPC e 451 pessoas de 50 a 59 anos com comorbidade e deficiência permanente, totalizando 890 doses. Caso a pessoa não esteja registrada no Sistema Único de Saúde (SUS), para tomar a vacina deverá levar documentação que comprova fazer parte do grupo prioritário.

Acompanhe abaixo as comorbidades listadas no Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19:

  • Diabetes mellitus;
  • Pneumopatias crônicas graves;
  • Hipertensão arterial resistente (HAR);
  • Hipertensão arterial estágio 3;
  • Hipertensão arterial estágios 1 e 2 com lesão em órgão-alvo e/ou comorbidade;
  • Insuficiência cardíaca (IC);
  • Cor-pulmonale e hipertensão pulmonar;
  • Cardiopatia hipertensiva;
  • Síndrome coronarianas;
  • Valvopatias;
  • Miocardites e Pericardiopatias;
  • Doença da aorta, dos grandes vasos e fístulas arteriovenosas;
  • Arritmias cardíacas;
  • Cardiopatias congênita no adulto;
  • Prótese valvares e dispositivos cardíacos implantados;
  • Doença cerebrovascular;
  • Doença renal crônica;
  • Imunossuprimidos;
  • Hemoglobinopatias graves;
  • Obesidade mórbida;
  • Síndrome de down;
  • Cirrose hepática.

Notícias Relacionadas

Amurel recomenda que municípios adotem nova quarentena por causa da Covid-19

Associação dos Municípios da Região de Laguna (Amurel) contempla 18 prefeituras. A situação da região é considerada gravíssima pelo governo de Santa Catarina em relação à doença.

Secretaria de Saúde de Criciúma reforça chamado de gestantes, puérperas e crianças para vacinação contra influenza

Agentes Comunitários de Saúde visitarão as residências para monitoramento e intensificação de informações por causa da baixa adesão à campanha nacional

Prefeito de Nova Veneza assina decreto de formação da Comissão de Acompanhamento, Controle, Prevenção e Monitoramento ao Coronavírus

Nova Veneza não tem casos confirmados da doença, apenas pessoas em isolamento domiciliar que já foram acompanhados, mas devem permanecer em quarentena pois chegaram de viagem.

Em três meses, PGE atuou em cerca de 270 ações judiciais e emitiu 36 pareceres jurídicos sobre Covid-19

A Procuradoria-Geral do Estado (PGE) atuou de forma judicial e administrativa para dar suporte às decisões do Poder Executivo e garantir o cumprimento das determinações para conter o avanço do novo coronavírus no Estado.