Geral

CT Satc participa de estudo para analisar vida dos micro-organismos em águas

Resultado obtido pode auxiliar em processos de recuperação ambiental de rios e cavas de mina abandonadas

Foto: SATC

O Centro Tecnológico (CT) da Satc, por meio do Núcleo de Meio Ambiente e Mineração (NMAM) participou de uma pesquisa para avaliar a existência de vida de micro-organismos em águas de rios e lagoas formadas em antigas cavas da mineração na região carbonífera. O estudo, focado na Drenagem Ácida de Mina (DAM), constatou que existe uma variedade de seres, até então desconhecidos, nestes ambientes. Agora, as informações levantadas poderão servir como base para etapas subsequentes, visando auxiliar em processos de recuperação de áreas impactadas.

O estudo foi realizado utilizando técnicas avançadas de genética molecular que é capaz de avaliar os microbiomas destes locais, ou seja, de saber quais são os micro-organismos que habitam as águas ácidas e que não são perceptíveis aos olhos humanos. Conforme o analista de estudos e projetos do NMAM da Satc, William Sant Ana, os resultados alcançados podem auxiliar inúmeros processos ambientais, como a biorremediação.

“Essa informação impacta positivamente a execução de processos futuros de recuperação e monitoramento destas áreas pois conhecendo a composição das comunidades de micro-organismos, podemos entender o grau de impacto ambiental nestes locais e encontrar as melhores estratégias para a colocar em prática a revitalização desses ambientes”, explica.

A pesquisa serviu para mostrar que os organismos que habitam as águas poluídas pela drenagem ácida de mina não são todos iguais. Eles são distintos na sua constituição biológica. “Quando a gente pensa nisso, não adianta querer tratar tudo do mesmo ponto de vista, com soluções padronizadas. Então o estudo é um pontapé fundamental para que no futuro se consiga idealizar uma recuperação ambiental mais inteligente, considerando-se as particularidades de cada local, ganhando tempo e economia do dinheiro público”, completa.

Os detalhes destes estudos foram publicados em Tese de Doutorado e em uma revista internacional de renome na temática de biologia e ambientes extremos, chamada Extremophiles.

Fruto de uma parceria liderada pelo Departamento de Botânica da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), o grupo de pesquisa continua as investigações dos microbiomas destes ambientes, inclusive preparando uma segunda publicação.

Notícias Relacionadas

Ao celebrar 25 anos, Carbonífera Catarinense reafirma o compromisso com a comunidade

Trajetória da empresa foi marcada por conquistas e investimentos no desenvolvimento, saúde e segurança da equipe e em projetos sociais e ambientais.

Homens contratados por mulher suspeita de encomendar morte do marido em SC cavaram cova durante churrasco, diz polícia

Edinei da Maia foi encontrado morto enterrado, com as mãos amarradas, em Canelinha, quatro meses após desaparecer.

Bezerro é içado após cair em poço de 6 metros de profundidade em Florianópolis

Resgate ocorreu em uma propriedade no bairro Rio Vermelho. Animal foi entregue ao proprietário.

SC tem 1,1 mil aparelhos bloqueados com o Celular Seguro em seis meses

Serviço foi criado pelo Governo Federal e tem como objetivo inibir roubos de smartphones