Geral

Decretada situação de emergência por conta da estiagem em Tubarão

Sem chuvas significativas desde fevereiro (0,6mm em fevereiro, 78mm em março e 33mm até agora em abril), a Cidade Azul começa a sentir os efeitos da estiagem.

Divulgação/Prefeitura de Tubarão

Tubarão está em situação de emergência por conta da estiagem que pode comprometer o abastecimento d’água. O documento foi assinado pelo prefeito Joares Ponticelli, na tarde desta quarta-feira (22), e permite uma série de iniciativas por um período de até 180 dias.

Sem chuvas significativas desde fevereiro (0,6mm em fevereiro, 78mm em março e 33mm até agora em abril), a Cidade Azul começa a sentir os efeitos da estiagem. No último fim de semana a Tubarão Saneamento, responsável pelo tratamento e distribuição da água, comunicou a prefeitura da ocorrência do fenômeno de salinização no Rio Tubarão por conta dos efeitos da maré. O percentual de água salobra (doce com salgada) avançando próximo ao ponto de captação pode afetar o processo de tratamento da água no município.

Hoje, a Tubarão Saneamento mantém os mesmos volumes de captação e com parâmetros de potabilidade exigidos pelo Ministério da Saúde. Para manter essa condição em meio a estiagem a ideia é criar uma barreira artificial no leito do rio para evitar que a água salobra se aproxime do trecho da captação da água doce. O aterro hidráulico para construção da passarela de concreto em frente a Unisul, que está montado entre a margem esquerda até quase o meio do rio, chegou a ser cogitado para essa função, mas a ideia foi descartada para evitar possíveis riscos à obra que está em fase de conclusão.

Assim, a Tubarão Saneamento encomendou um levantamento para encontrar um local mais adequado em uma área mais rasa rio acima. Durante a tarde, o prefeito Joares Ponticelli e o diretor da companhia Marcelo Matos estiveram nas margens do rio para discutir a situação.

Todas as ações dos órgãos municipais, segundo o decreto de emergência, passam a ser coordenados pela Coordenadoria de Proteção de Defesa Civil. Para executar o prolongamento do aterro e concluir a barragem natural é preciso uma licença da Instituto de Meio Ambiente (IMA) e também Capitania dos Portos, já que o Rio Tubarão é classificado como de águas navegáveis.

O prefeito Joares Ponticelli ressaltou que o momento exige um consumo racional por parte da população.

“Não temos previsões animadoras de chuvas para os próximos dois meses, então peço a todos que evitem o desperdício. Só não vamos economizar na higienização das mãos para manter a precaução quanto a pandemia do novo coronavírus. Além disso, vamos adotar o uso racional enquanto persistir essa estiagem”, destacou.

Notícias Relacionadas

Amurel recomenda que municípios adotem nova quarentena por causa da Covid-19

Associação dos Municípios da Região de Laguna (Amurel) contempla 18 prefeituras. A situação da região é considerada gravíssima pelo governo de Santa Catarina em relação à doença.

Apoio ao candidato Vitorassi para eleição da Coorsel se intensifica durante reuniões com associados

Na noite de hoje (16), às 19h30min, os associados da comunidade de São Gabriel são convidados a participarem do encontro com os candidatos, em Treze de Maio.

Tribunal de Justiça autoriza prefeitura a retomar obras da passarela em frente à Unisul, em Tubarão

Iniciada em fevereiro, a construção da passarela precisou ser interrompida por alguns dias ainda no primeiro semestre por conta da ação judicial de uma empresa inabilitada no processo de licitação.

Após um mês na UTI enfrentando a Covid-19, paciente de Pescaria Brava recebe alta no HNSC, em Tubarão

A paciente deu entrada no Hospital no dia 21 de março, e no dia 27 foi transferida para a Unidade de Terapia Intensiva, onde precisou receber ventilação mecânica.