Saúde

Dedos de Covid é um dos sintomas raros da doença

Entenda como os dedos de Covid podem se desenvolver e o que é esse raro sintoma

Divulgação

A Covid-19 pode causar vários sinais e sintomas, sendo os mais comuns: febre, tosse e cansaço. Além de falta de ar ou dificuldade para respirar, calafrios, dores musculares, coriza e dores de garganta, cabeça e peito. No entanto, o coronavírus pode causar sintomas inesperados, sendo os dedos de Covid (Covid Fingers) um deles.

Em algumas pessoas, esse pode ser o único sinal de uma infecção por coronavírus. Confira a seguir como podem ficar os dedos dos pés e das mãos de algumas pessoas infectadas pelo coronavírus.

O que são os dedos de Covid

É uma alteração na pele comumemente associada à Covid-19 leve a grave que inclui uma erupção cutânea plana coberta com pequenas protuberâncias, áreas descoloridas nos dedos das mãos e dos pés (dedos de Covid) e urticária.

Médicos do mundo todo notaram que alguns pacientes com teste positivo para o coronavírus desenvolvem dedos dos pés descoloridos e inchados.

Embora os dedos de Covid possam aparecer em qualquer idade, parecem ser mais comuns em crianças, adolescentes e adultos jovens. Esses pacientes jovens são saudáveis e muitos não desenvolveram outros sintomas mais comuns da Covid-19, como febre, tosse seca e dores musculares. Quando eles têm sintomas de COVID-19, os sintomas tendem a ser leves.

Como o sintoma se desenvolve

Inchaço ou descoloração podem se desenvolver em um ou vários dedos das mãos, dos pés ou em ambos. No início, os depos podem adquirir uma cor vermelha brilhante que gradualmente se transforma em roxo. Os dedos de Covid também podem começar com uma cor arroxeada. O que se sabe é que a maioria das pessoas desenvolve essa alteração cutânea somente nos dedos dos pés.

Juntamente com o inchaço e a descoloração, os dedos de Covid também podem causar bolhas, coceira, inchaços dolorosos, áreas de pele áspera e uma pequena quantidade de pus sob a pele

As mãos, pulsos ou tornozelos também podem ser afetados.

Segundo Esther Freeman, dermatologista e epidemiologista da Harvard Medical School, as pessoas se queixam, no máximo, de uma coceira leve. Na sua forma mais grave, os dedos de Covid causam tanta dor que alguns pacientes não conseguem calçar os sapatos por algumas semanas.

Em entrevista à BBC, a escocesa Sofia, de 13 anos, contou que mal conseguia andar ou usar sapatos quando desenvolveu dedos de Covid no início de 2021. Ela, inclusive, passou a depender de uma cadeira de rodas para caminhadas mais longas.

Duração dos dedos de Covid

Embora os dedos de Covid desapareçam sem tratamento, ainda não é possível saber quanto tempo a maioria das pessoas tem a doença. Os sintomas podem durar de 10 a 14 dias e, em alguns casos incomuns, durar meses e até um ano ou mais.

Dedos de Covid é contagioso?

Como ainda há muito a se descobrir sobre o coronavírus, ainda não é possível saber se os dedos de Covid é contagioso.

Os dedos de Covid podem ser confundidos com frieiras. Portanto, as pessoas que estão com os dedos dos pés ou das mãos inchados e descoloridos, podem estar com frieiras em vez de dedos de Covid. Frieiras se desenvolvem quando a pessoa fica em um solo fresco e úmido, repetidamente exposta a temperaturas frias.

Frieiras fazem com que a pele dos dedos dos pés, e também outras partes dos pés, dedos ou outras áreas afetadas, queimem e cocem. Algumas pessoas veem a pele inchar e ficar vermelha ou azul escura. Um caso grave de frieiras pode causar feridas ou bolhas.

O que pode causar os dedos de Covid

Um estudo publicado em outubro do ano passado no British Journal of Dermatology estava entre os que sugerem que uma resposta imune agressiva a uma exposição ao SARS-CoV-2 pode ser responsável pelos dedos de Covid. Os pesquisadores estudaram as amostras de sangue e pele de 50 pacientes – vários dos quais apresentavam sintomas de Covid-19, como tosse, fadiga e febre – que tiveram essas “frieiras” pela primeira vez em abril de 2020 e deram negativo em um teste de PCR.

O estudo mostrou que, em comparação com indivíduos saudáveis, os pacientes com dedos de Covid tinham altos níveis de proteínas imunológicas chamadas autoanticorpos no sangue que danificavam erroneamente seus próprios tecidos saudáveis. Eles também carregavam altos níveis de proteínas chamadas interferons do tipo I, que são uma primeira linha de defesa contra infecções virais.

“A maneira como expliquei aos meus pacientes é que os dedos de Covid são quase uma coisa boa demais”, diz Freeman. “Seu corpo fez um bom trabalho na luta contra o vírus e, de fato, teve uma resposta imune bastante apropriada, pois havia muito interferon por aí. E um efeito colateral de ter todo esse interferon por perto é que seus dedos ficam roxos.”

Essa potente produção de interferon pode estar ajudando os pacientes com Covid a eliminarem a infecção por SARS-CoV-2 antes que os anticorpos específicos do coronavírus se formem, o que poderia explicar por que muitos desses pacientes são negativos nos testes de anticorpos. Além disso, a produção de certos interferons do tipo I é maior em crianças e adultos jovens e diminui com a idade, o que pode explicar por que os dedos de Covid são mais comuns nesse grupo demográfico.

Alguns especialistas sugerem que pode haver casos de Covid que não têm nada a ver com o vírus, mas algo a ver com o comportamento pandêmico. As pessoas não usavam tanto sapatos e meias enquanto ficavam em casa, o que poderia ter induzido frieiras pandêmicas em algumas pessoas, diz Akiko Iwasaki, imunologista da Universidade de Yale.

No entanto, essa suposição exigiria mais análise. Até que os especialistas consigam rastrear uma presença definitiva de SARS-CoV-2 em pacientes com dedos de Covid, essa associação continuará sujeita a especulação. Segundo Lisa Arkin, dermatologista pediátrica na Universidade de Wisconsin-Madison, há várias perguntas em aberto e ainda podem haver mais mistérios do que respostas.

O que fazer se seu filho desenvolver dedos de Covid

Não é preciso entrar em pânico se seu filho desenvolver dedos de Covid, pois não há complicações associadas apenas a essa doença. Ainda assim, erupções cutâneas podem sinalizar outras complicações da Covid-19 que podem ser motivo de preocupação, observa a Dra. Poinsett. Pierrette Mimi Poinsett.

De qualquer forma, se seu filho desenvolver dedos de Covid, entre em contato com um médico. Todas as crianças com suspeita de dedos de Covid devem ser avaliadas pelo pediatra para confirmação do diagnóstico e fazer o teste para Covid para descartá-la e descobrir se há alguma outra causa para a erupção presente no dedo do pé (como vasculite – devido a outras doenças imunológicas).

Qual é o tratamento para os dedos de Covid

Os dedos de Covid desaparecerão por conta própria, mas é possível tratar os sintomas se eles incomodarem.

Pode ser usado um creme de hidrocortisona para aliviar a dor ou a coceira. Se isso não ajudar ou se seus dedos dos pés ou mãos piorarem, procure por seu médico ou um dermatologista certificado.

De que outra maneira a Covid-19 pode afetar a pele?

As alterações na pele relacionadas à Covid-19 são menos comuns do que os principais sinais que o vírus pode causar, como tosse, febre, calafrios e dificuldade para respirar. Porém a Academia Americana de Dermatologia (AAD) diz que algumas pessoas que têm o coronavírus podem ter diferentes tipos de problemas de pele, como erupção cutânea irregular, bolhas que se parecem com catapora, pequenas manchas redondas na pele, saliências elevadas, manchas planas que se fundem, entre outros.

Outros sintomas inesperados causados pela Covid

Além dos dedos de Covid, os outros sintomas inesperados causados pela Covid dão:

Sintomas digestivos – A Covid-19 pode causar náusea, vômito ou diarreia – que podem aparecer sozinhos ou com outros sintomas do corona. Às vezes, os sintomas digestivos se desenvolvem antes de uma febre e sintomas respiratórios.

Perda de olfato ou paladar – Perda de olfato ou paladar – sem nariz entupido – é um sintoma inicial comum do coronavírus. Pesquisas sugerem que a maioria das mudanças no olfato e paladar geralmente se normalizam em 30 dias. Em algumas pessoas, no entanto, alterações moderadas a graves no olfato e paladar podem durar 60 dias ou mais.

Confusão mental – Confusão grave (delírio) pode ser o principal ou único sintoma de Covid-19 em idosos. Esse sintoma do coronavírus está associado a um alto risco de resultados fatais.

Problemas oculares – Conjuntivite pode ser um sintoma de Covid-19. Pesquisas sugerem que os problemas oculares mais comuns relacionados ao corona são sensibilidade à luz, olhos doloridos e coceira nos olhos.

Sinais e sintomas de Covid-19 podem aparecer de 2 a 14 dias após a exposição. Eles podem variar de leve a grave. Se você acha que pode estar com sintomas de Covid-19, procure o médico.

Com informações do NSCTotal

Notícias Relacionadas

Governo do Estado libera R$ 50 milhões para assistência social

O repasse será realizado em três parcelas. Estão previstos R$ 20 milhões para maio; R$ 15 milhões para agosto e outros R$ 15 milhões para novembro

Médico da policlínica de SC vendia remédios a R$ 1,2 mil a pacientes do SUS, diz polícia

Polícia cumpriu mandado de busca e apreensão no consultório particular do médico, na região central da cidade

Homens fantasiados invadem apartamento, deixam reféns e levam R$ 97 mil em SC

Ladrões se passaram por eletricistas vestindo macacões cinzas luminosos da Celesc; vítimas foram deixadas amarradas no Centro de Balneário Camboriú

Servidor público modificou carro que participou de racha com morte em Florianópolis

Veículo se envolveu em acidente que terminou com o óbito de um idoso