Segurança

Delegado esclarece prisão de vereadora em Meleiro

Foto: Divulgação

A prisão da vereadora de Meleiro Maria Ondina Pelegrini, na noite dessa segunda-feira (19), gerou repercussão em toda a região. Ela foi levada pela Polícia Civil em cumprimento ao mandato de prisão preventiva por coação de testemunhas no curso de um processo.

“A prisão foi decretada pelo juiz da Comarca, a Polícia Civil apenas deu cumprimento e encaminhou ela para a delegacia e depois para o presídio. Existem diversos procedimentos instaurados para averiguar crimes praticados pela vereadora. No decorrer destes procedimentos, algumas condutas foram praticadas. Entre elas, a coação de testemunhas, que é quando você passa a interferir no curso das investigações. Por conta disso, foi levado ao Poder Judiciário, que ouviu o Ministério Público e, após, decretou a prisão preventiva da vereadora como medida necessária para concluir as investigações”, contou o delegado de polícia de Meleiro, Leandro da Rocha Loreto.

Em setembro do ano passado, o escritório da vereadora e advogada foi alvo de um mandado de busca e apreensão. Segundo o delegado, a prisão da noite de ontem está relacionado à ação do ano anterior.

“Existem esses procedimentos na delegacia e, de lá para cá, eu venho tentando concluir esses procedimento, mas diante das condutas reativas da advogada e seus pares, estava difícil. As pessoas têm bastante receio e medo por se tratar de uma família que é vista como poderosa em Meleiro”, afirmou.

Com informações do Portal 4oito

Notícias Relacionadas

Ciclista morre após ser atropelado na SC-285, em Araranguá

DIC de Criciúma apreende 1,5 kg de maconha e munição de calibre restrito

Revólver, munições e droga são encontrados durante blitz realizada pela PMRv de Içara

Polícia Civil cumpre mandados contra suspeitos de latrocínio em Sombrio