Geral

Detento de Tubarão vence concurso nacional de redação

Reeducando de 37 anos ficou em 1º lugar no concurso nacional de redação da Defensoria Pública da União

Foto: Divulgação

Um detento do Presídio Regional Masculino de Tubarão conquistou o primeiro lugar no 4º Concurso Nacional de Redação da Defensoria Pública da União, que teve como tema “Promoção dos Direitos Humanos e Garantia do Acesso à Justiça”, em comemoração aos 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

I.A., de 37 anos, participa do Projeto de Leitura oferecido pela unidade prisional, que consiste na leitura de um livro e posteriormente é encaminhado ao fórum para redução do tempo da pena – direito que lhe assiste à Lei de Execução Penal.

Com orientação dos professores do Centro Educacional de Jovens e Adulto (Ceja) e da coordenadora pedagógica Marta Rosi Pereira Scremin, ele inscreveu-se no concurso como aluno em regime prisional e, no formulário da prova, abordou o acesso aos direitos e garantias dos cidadãos, igualdade para todos. O reeducando teve sua redação reconhecida pela comissão julgadora, garantindo o primeiro lugar no concurso.

Segundo o diretor do Presídio Masculino de Tubarão, Milton Rech, foi gratificante receber o resultado. “Estamos fazendo um bom trabalho junto aos reeducandos, e exemplos assim precisam ser reconhecidos. “A educação possui enorme importância dentro do sistema prisional, dessa forma estaremos cumprindo o papel de reinseri-los à sociedade”.

O reeducando receberá um tablet da Defensoria Pública da União como prêmio pelo 1º lugar no Estado de Santa Catarina, uma medalha de honra ao mérito e 12 horas de remição em sua pena.

Com informações do Notisul

Notícias Relacionadas

Equipe do Programa de Hepatites Virais de Criciúma recebe prêmio ‘Inimigo número 1 da Hepatite C’

Município ficou entre os cinco melhores do país. Prêmio será entregue em outubro, em São Paulo

Presídio de Araranguá beneficiado com verbas de penas pecuniárias do sul do Estado

O Presídio Regional de Araranguá promoveu, na última sexta-feira (19), a inauguração da sala de aula e da biblioteca daquela unidade.

Tribunal de Justiça nega prisão domiciliar a detento que poderia fazer tratamento de saúde no presídio

O detento passou por perícia de um médico legista, que ressaltou a possibilidade de continuar o tratamento do detento na própria prisão

Troféu Fama 2018 reconhece empresas e profissionais de Orleans e Lauro Müller