Geral

Detran/SC denuncia indícios de irregularidades em contrato de locação da antiga sede

O prejuízo aos cofres públicos somente nos últimos cinco anos é estimado em R$ 3 milhões.

Divulgação

Um levantamento realizado pelo Detran/SC com indícios de irregularidades no contrato de locação do prédio da antiga sede do órgão será entregue nesta terça-feira, 22, para a Controladoria-Geral do Estado (CGE). O prejuízo aos cofres públicos somente nos últimos cinco anos é estimado em R$ 3 milhões. As investigações, que iniciaram em fevereiro, identificaram inconsistências no contrato que esteve vigente nos últimos 27 anos.

“Desde a transição estamos revendo os contratos, verificando o que está em conformidade com a lei e com a verdade. Este é mais um deles. Toda vez que um contrato lesa o interesse público e tem desvios de finalidade, geralmente, é utilizado para remunerar um sistema de corrupção do qual nós não participamos e não iremos participar. Queremos que a verdade seja entregue à população catarinense e que os responsáveis sejam punidos”, disse o governador Carlos Moisés.

Após análise de contrato e verificação das matrículas dos imóveis e registros de IPTU, o Detran/SC constatou uma possível diferença entre a área efetivamente alugada pelo órgão e a área construída e disponibilizada pela locadora. Essa diferença estaria estimada em 900 metros quadrados a mais do que de fato existia. Além disso, o relatório levanta suspeita para uma dupla locação da área de lanchonete, que estaria sendo contabilizada no contrato com o Governo do Estado e também com um locatário privado. O contrato até 2017 era de R$ 196 mil mensais. Posteriormente, foi revisado com decréscimo de 5% e passou para R$ 185 mil. Em setembro deste ano, o Detran mudou para uma nova sede no bairro Coqueiros, em Florianópolis, que tem uma economia prevista superior a R$ 3 milhões para os cofres públicos em 10 anos.

A diretora do Detran/SC, Sandra Mara Pereira, explicou que as informações estão sendo apuradas desde fevereiro. Em junho, foi montada uma comissão para as providências preliminares. O relatório foi encaminhado na última semana aos órgãos de controle do Ministério Público e Tribunal de Contas do Estado. “Nesta tarde, iremos encaminhar o documento para Controladoria-Geral do Estado para apuração dos fatos. O que queremos é dar transparência ao processo”, destacou.

Carlos Moisés reforçou ainda a importância da digitalização dos processos dentro do Governo do Estado, o que evita possíveis fraudes e extravio de documentos. “O nosso governo é 100% digital, tudo fica registrado. É um trabalho que estamos fazendo com todos os contratos.”, finalizou o governador.

O processo está disponível para consulta no Sistema de Gestão e Processos Eletrônicos (SGPE).

Revisão de contratos

O Governo do Estado teve uma economia de mais de R$ 360 milhões com medidas de gestão eficientes, como a revisão de contratos.

Notícias Relacionadas

Carro esportivo de luxo é apreendido com mais de R$ 15 mil em débitos, em Araranguá

Agentes abordaram o motorista, de 27 anos, após denúncia por direção perigosa.

Mulher denuncia agiota após estuprá-la em Braço do Norte

O crime teria acontecido na última sexta-feira (20), mas a denúncia foi feita apenas neste domingo (22)

Operação Alcatraz: Força-tarefa do MPF denuncia mais sete pessoas por corrupção

Procuradores da República pedem reparação integral de no mínimo R$ 188,8 mil e outros danos causados

Vítimas de violência doméstica poderão fazer denúncia em farmácias

CNJ e AMB lançam nesta quarta-feira (10) campanha de incentivo a essa prática