Poder Executivo

Devido à paralisação, Morro da Fumaça deve deixar de arrecadar mais de R$ 1,8 milhão

Previsão da Amrec é relativa aos meses de junho e julho. Município busca alternativas para suprir perdas.

Foto: Marciano Bortolin / Comunicação Prefeitura de Morro da Fumaça

Após o término da paralisação dos caminhoneiros na semana passada, as cidades passam a avaliar os reflexos. Um levantamento da Associação dos Municípios da Região Carbonífera – Amrec, através do Conselho Nacional de Política Fazendária – Confaz/SC, fez previsão das perdas para os meses de junho e julho, baseado no mês de maio.

Morro da Fumaça terá uma diminuição de mais de R$ 1,8 milhão se somados os recursos do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços – ICMS, do Fundo de Participação dos Municípios – FPM e do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação – Fundeb. “Estamos preocupados com esta situação. Precisaremos conter alguns gastos para contorná-la”, salienta o vice-prefeito e secretário do Sistema Econômico, Eduardo Guollo.

Com relação ao ICMS, a projeção é que Morro da Fumaça deixe de receber R$ 552.429,60. Já os valores de FPM serão R$ 748.349,82 – menores que maio. Do Fundeb, os estudos apontam que o Município deixará de receber R$ 500 mil. “A paralisação dos caminhoneiros foi justa e agora vêm os reflexos. Precisamos trabalhar para reverter este quadro que se desenha para os dois próximos meses”, destaca o prefeito Noi Coral.

Guollo enfatiza que, historicamente, a arrecadação de julho é menor porque é o início do pagamento das restituições do Imposto de Renda, porém, neste ano, devido à mobilização dos caminhoneiros, ela será ainda menor.

Valores recebidos por Morro da Fumaça em maio e projeção para junho e julho:

Colaboração: Marciano Bortolin / Comunicação Prefeitura de Morro da Fumaça

Notícias Relacionadas

STF autoriza SC a utilizar recursos do pagamento da dívida com a União no enfrentamento da Covid-19

O pedido foi protocolado pela Procuradoria-Geral do Estado de Santa Catarina (PGE) para garantir que a União deixe de aplicar qualquer tipo de penalidade ao estado em razão da suspensão dos pagamentos.

Em Laguna, governador autoriza emissário terrestre para a praia do Mar Grosso e libera recursos para hospital

A projeção da Casan é que o empreendimento fique pronto em janeiro de 2020. O emissário é uma rede de 2.718 metros de extensão e diâmetro de 315 milímetros, com tubos de polietileno.

Estado libera recursos para pavimentação da última etapa de acesso à Barragem do Rio São Bento, em Siderópolis

Para o prefeito Cesa, foram muitos anos de espera por essas duas obras no município.

Jovens e mulheres terão prioridade na liberação de recursos dos Programas da Secretaria da Agricultura de SC

De acordo com o Censo Agropecuário de 2017, em Santa Catarina são quase 170 mil agricultoras e mais de 6,9 mil propriedades rurais administradas por jovens.