Geral

Direção da espanhola Tolsa conhece laboratórios do CTSatc

Visitantes atuam em parceria com indústria de Criciúma na área de mineração

Divulgação

Representantes da empresa espanhola Tolsa estiveram visitando o Centro Tecnológico Satc (CTSatc). O roteiro, para conhecer a estrutura de laboratórios e os serviços realizados, fez parte do trabalho de prestação de serviços para fazer as análises de bentonita.

O diretor da Tolsa, Esteban Nunes, ficou impressionado com a estrutura dos Laboratórios da Satc (LabSatc). Com ele, estavam Cintia Bernardo e Ramiro Crespo, engenheiro químico da Tolsa. A empresa é líder mundial de extração, tratamento e comercialização de minerais, especialmente a bentonita. Ela é retirada de uma jazida na Patagônia e trazida para Carbobrás em Criciúma para ser beneficiada. O diretor da Carbobrás, Amarildo Biff, também acompanhou a visita técnica aos laboratórios.

“A direção veio conhecer nossa estrutura, processo de trabalho e equipamentos que podemos disponibilizar para fazer as análises da bentonita. Hoje, temos condições de atender às demandas exigidas, realizando os estudos físico-químicos e de caracterização de minerais nos nossos laboratórios”, explicou a gerente técnica do LabSatc, Josiane da Rocha Silvano.

A bentonita é uma argila natural que possuí alta capacidade de absorver água. É muito utilizada como um agente aglutinante, vedante e lubrificante.

Notícias Relacionadas

Rua rachada em SC corre risco de desabar e famílias são orientadas a deixar casas, diz prefeitura

Análise de um geólogo atestou que a rua, em São Bento do Sul, possui "alto risco para desmoronamento".

Mais caro que gasolina: óleo diesel é encontrado a mais de R$ 8 em duas cidades de SC

Pesquisa da ANP avaliou valores entre os dias 19 e 25 de junho e mostra cidades de Santa Catarina com óleo diesel a mais de R$ 8

Produtores de Soja recebem prêmio do Grupo Olim

Prêmio Produtividade de Soja Safra 2021/2022 foi entregue nesta quinta-feira (23)

Criança leva 40 picadas de abelhas no pátio de escola em SC

Segundo os bombeiros, três alunos precisaram de atendimento médico devido aos ferimentos causados pelos insetos