Geral

Do TCC na Unesc para um negócio de até R$ 140 milhões

Formado há um ano na Unesc fez projeto que pode resultar em parceria entre Brasil e Senegal.

Do TCC para um negócio de até 140 milhões

Foto: Divulgação

Há um ano, o jovem Mouhamadou Moustapha Seydi Djamil vencia a temida banca e via aprovado seu Trabalho de Conclusão de Curso – TCC, qualificando-se à colação de grau em Administração de Empresas na Unesc. Ele, que veio do Senegal, dava um passo ali, a partir de Criciúma, para firmar uma parceria que pode gerar um negócio de até R$ 140 milhões entre seu país e Santa Catarina.

“Fizemos um levantamento na pesquisa do TCC visando reforçar as relações entre Brasil e Senegal, e vimos a necessidade que o meu país tem por arroz de qualidade. E aqui tem esse arroz”, conta Moustapha, fazendo menção ao seu professor e orientador, Tiago Colombo.

Projeto vai para o governador

A ideia prosperou a tal ponto que, nos próximos dias, ocorrerá em Florianópolis uma reunião intermediada pelo secretário executivo da Agência de Desenvolvimento Regional de Criciúma – ADR, João Fabris, com o governador Raimundo Colombo. “Nosso povo do Senegal prefere o arroz importado, pois o arroz de lá é de baixa qualidade”, observa o estudante senegalês. Ele segue freqüentando a Unesc, agora como aluno de Pós Graduação em Finanças e Controladoria.

Além do arroz, a técnica

“Santa Catarina tem entre 8 e 10% da produção nacional de arroz. Disso, mais de 50% são do Vale do Araranguá. Exportamos para toda a África, mas para o Senegal ainda é incipiente”, comenta o professor Tiago Colombo, que acompanha Moustapha no trabalho.

O senegalês fez contatos em seu país, inclusive com autoridades ligadas ao governo, confirmando a viabilidade do projeto. A intenção é, além da parceria econômica, firmar um intercâmbio técnico. “Temos condições sim de ajudar o Senegal com a Epagri, a Unesc, com técnicas para que eles plantem arroz de mais qualidade”, aprofunda Colombo.

Exportação de destaque

“O Senegal quer o arroz do Brasil, mas também quer tecnologia”, cita Moustapha. O país africano estaria disposto a importar cerca de 120 mil toneladas do produto, chegando aos citados R$ 140 milhões de movimentação. “Este não é o primeiro caso recente de TCC que pode terminar em parceria econômica, mas é dos mais relevantes”, conclui Colombo.

Com informações do Portal Engeplus

Notícias Relacionadas

Santa Catarina registra dois novos casos de coronavírus e divulga plano de contingência para enfrentar a doença

Coronavírus em SC: Santa Catarina salta 16 posições e está entre os estados com menor incidência da doença no país

As estratégias de isolamento social e combate ao coronavírus levaram Santa Catarina a avançar para posição de destaque nacional no enfrentamento à pandemia.

Produtor do melhor mel do mundo, Santa Catarina prevê safra acima da média em 2020

Santa Catarina tem uma série de fatores que, naturalmente, favorecem o cultivo de um mel diversificado e até mais puro.

Agências do Sine de Santa Catarina contam com quase 1,7 mil vagas de emprego abertas

A lista de oportunidades disponíveis pode ser acessada no aplicativo Sine Fácil, disponível para smartphones.