Geral

Dólar dispara e supera R$ 5,65 após Senado derrubar veto a reajuste de servidor

Na quarta-feira, a moeda norte-americana subiu 1,14%, vendida a R$ 5,5287.

Divulgação

O dólar opera em forte alta nesta quinta-feira (20), com as atenções dos investidores voltadas para as discussões em torno do orçamento do governo para 2021 e preocupações sobre a trajetória das contas públicas, após o Senado derrubar o veto do presidente Jair Bolsonaro ao reajuste salarial de servidores públicos.

Às 10h03, a moeda norte-americana subia 2,20%, vendida a R$ 5,6503. Na máxima até o momento chegou a R$ 5,6538. Já o dólar turismo era negociado ao redor de R$ 5,90. Veja mais cotações.

Na véspera, o dólar fechou em alta de 1,14%, a R$ 5,5287 – maior patamar de fechamento desde 22 de maio (R$ 5,5842). Na semana, o dólar passou a acumular alta de 1,83%. No mês, tem alta de 5,97%, e no ano, de 37,88%.

Nesta quinta-feira, o Banco Central fará leilão de swap tradicional de até 10 mil contratos com vencimento em março e setembro de 2021.

Cena local e externa

Na noite desta quarta-feira, o ministro Paulo Guedes, da Economia, criticou a decisão do Senado de derrubar o veto do presidente Jair Bolsonaro ao reajuste de salários de servidores durante a pandemia do coronavírus. Ele disse que o Senado deu “um péssimo sinal” e classificou a decisão como “um crime contra o país”.

O tema ainda precisa ser analisado pela Câmara dos Deputados, em sessão prevista para esta quinta-feira.

O congelamento dos reajustes até o fim de 2021 foi uma contrapartida definida pelo governo, como resultado de um acordo, para o pacote de socorro de R$ 60 bilhões a estados e municípios, cujos cofres foram abalados pela pandemia.

“A perspectiva para as medidas da PEC dos gatilhos, que tem como objetivo principal o enxugamento da folha de pagamentos com servidores, é muito ruim. Essa é a principal medida fiscal e se, prosperar, será desidratada. O efeito direto para o teto advém do impacto que a União terá, que é o menor, porém, o impacto direto, via Estados e municípios, é grande e pode totalizar cerca de R$ 45 bilhões”, notam os estrategistas da Tullett Prebon Brasil.

Na cena externa, o viés era de maior cautela nos mercados após ata da última reunião do Fed (Federal Reserve, o banco central dos EUA), mostrar que a rápida recuperação do mercado de trabalho em maio e junho provavelmente abrandou, indicando a necessidade da manutenção de políticas de estímulo durante um período mais longo.

O fato de o Fed ter citado a desvalorização da moeda local na ata de sua reunião continuava reverberando nos mercados.

Com informações do site G1

Notícias Relacionadas

Senado acata sugestão popular que libera uso medicinal da cannabis

Proposta tramitará como projeto de lei na Casa

Bancos passam a cobrar dólar do dia da compra com cartão

Medida começa valer a partir de 1º de março, conforme circular do Banco Central

Balneário Rincão supera expectativa e atrai milhares de veranistas na Virada do Ano

Além das festas tradicionais nas residências o calçadão foi palco para shows regionais gratuitos

Crise: Senado aprova linha de crédito para profissionais liberais

Medida serve para reduzir os impactos financeiros do setor na pandemia