A busca pelo Conhecimento

Einstein: um gênio à frente de sua época

Foto: Divulgação

Com certeza você já deve ter ouvido falar do grande cientista Albert Einstein, que ficou famoso ao redor do mundo inteiro por suas contribuições na área da ciência.

Nascido em 14 de março de 1879 na cidade de Ulm, no Império Alemão, era filho do casal judeu Hermann Einstein e Pauline Koch. Aos 5 anos de idade, começou a estudar em uma escola primária católica, onde adquiriu seus primeiros conhecimentos. Logo após, aos 8 anos, foi transferido para o ginásio Luitpold, onde recebeu o final da educação primária e a secundária completa. Com 17 anos, matriculou-se em um curso de quatro anos no Instituto Federal de Tecnologia de Zurique, com o objetivo de se tornar professor de física. Ele se formou e obteve o diploma em 1900. Durante esse tempo, conheceu sua futura esposa, Mileva Marić, uma jovem que, como Einstein, era apaixonada por ciência e ingressou na mesma turma que ele. Os dois se casaram em 1903, e dessa união tiveram três filhos: Lieserl, Hans Albert e Eduard.

Com o decorrer dos anos, a fama de Einstein só crescia devido às suas contribuições e experiências realizadas. Em 1908, ele foi reconhecido como um cientista importante e começou a lecionar na Universidade de Berna. Talvez sua maior contribuição para o meio científico tenha sido o lançamento da Teoria da Relatividade Geral, publicada em 1915, na qual Einstein propôs um conjunto de hipóteses que generaliza a relatividade especial e a lei da gravitação universal de Newton, fornecendo uma descrição unificada da gravidade como uma propriedade do espaço-tempo. Em 10 de novembro de 1922, Einstein foi homenageado com o Prêmio Nobel de Física, por suas enormes contribuições ao campo.

Veja mais matérias deste colunista: A busca pelo Conhecimento 

Com a ascensão do partido nazista na Alemanha em 1933, Einstein passou a residir nos Estados Unidos, onde se naturalizou cidadão americano. No país, ele conseguiu alertar o presidente Franklin Roosevelt sobre a possível hipótese de que os alemães estariam desenvolvendo uma poderosa arma atômica, sugerindo ao governo que se precavesse e iniciasse pesquisas, que mais tarde se chamariam de “Projeto Manhattan”.

No começo da década de 1950, durante algumas pesquisas, os médicos constataram que um vaso sanguíneo da aorta abdominal de Einstein tinha desenvolvido um aneurisma que crescia muito rápido. Ele se recusou a fazer qualquer cirurgia e disse uma frase muito conhecida nos dias de hoje: “Quero ir quando eu quiser. É de mau gosto prolongar a vida artificialmente. Fiz minha parte, é hora de ir embora e eu vou fazê-lo com elegância.” Faleceu pacificamente na manhã do dia 18 de abril de 1955, no hospital de Princeton, às 01h15min, com a idade de 76 anos. Seu corpo foi cremado, de acordo com seu pedido feito em vida.

Notícias Relacionadas

Comentarista de arbitragem diz que pênalti de Barreto foi “bem marcado”

Tigre perde para o Flamengo por 2 a 1, em Brasília

Dupla suspeita de lavar dinheiro milionário é presa em casa de shows em SC

Durante a operação, foram apreendidos veículos, celulares e documentos

Final de semana em SC terá sol e temperaturas próximas aos 30ºC

Embora os dias sejam quentes, as noites e madrugadas serão frias, com temperaturas variando entre 4°C e 10°C