Tecnologia

Em Brasília, governadora faz parceria para projetos de prevenção aos desastres naturais e ensino da Ciência e Tecnologia nas escolas

A governadora Daniela Reinehr esteve com o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, nesta quarta-feira, 4, em Brasília

Divulgação

A governadora Daniela Reinehr esteve com o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, nesta quarta-feira, 4, em Brasília, para acompanhar a evolução do projeto de criação e fabricação de 13 nanossatélites, chamados de Constelação Catarina. O objetivo é que equipamentos ajudem na prevenção de desastres naturais e no aprimoramento do processo de agricultura de precisão. Além disso, a governadora anunciou um novo programa em parceria com o Ministério para levar práticas de Ciência e Tecnologia para as escolas.

Segundo a governadora, essa união de esforços e harmonia com o Governo Federal é fundamental para garantir o desenvolvimento de Santa Catarina. “Nós já somos conhecidos como um Estado tecnológico e inovador. O nosso povo é unido e supera expectativas e cria oportunidades a todo tempo. Por isso, não poderíamos ficar de fora de mais essa iniciativa que vai colocar a ciência e a tecnologia em ascensão e gerar mais segurança e oportunidades para todos”, disse.

O ministro reconheceu o trabalho de Santa Catarina. “Essa iniciativa impacta positivamente na qualidade de vida das pessoas, o que é essencial na nossa missão”, afirmou Pontes.

Para o presidente da Agência Espacial Brasileira, Carlos Moura, o projeto de nanossatélites é fundamental para colocar o Brasil em outro patamar de evolução. “Em locais que sofrem com eventos extremos, como é o caso de Santa Catarina, é preciso coletar informações para ajudar em estratégias e tomada de decisões ao longo do tempo. Esse é o objetivo do da constelação, que deve apoiar o Estado e todo o Brasil”, comentou.

A iniciativa é da Frente Parlamentar Mista para o Programa Espacial Brasileiro, que tem o objetivo de fortalecer, desenvolver e defender os interesses do setor espacial no âmbito do território nacional. “Santa Catarina tem toda a capacidade necessária para construir esse projeto e entregar resultados positivos para o Brasil”, disse o deputado federal Daniel Freitas, que é presidente do projeto.

Ciência e tecnologia nas escolas catarinenses

O projeto para levar às salas de aula do estado o ensino de Ciência e Tecnologia também esteve na pauta do encontro. “A nossa proposta é que a Secretaria de Estado da Educação seja parceira do Ministério para expandir a ciência e inovação em nosso Estado e garantir que os estudantes tenham acesso a esse conhecimento desde a base. O futuro de Santa Catarina será ainda mais promissor com esse projeto”, enfatizou Daniela Reinehr.

A secretária de Articulação e Promoção da Ciência do MCTI, Christiane Corrêa, será uma das responsáveis por incentivar o projeto no Estado. “Essa iniciativa é excelente para todos. Estamos disponíveis e comprometidos com o desenvolvimento de Santa Catarina. Tenho certeza de que o projeto vai melhorar a vida de muitos estudantes catarinenses e oferecer expectativas ainda melhores para o Estado que já é referência no assunto e caminha mais uma vez nesse processo de promoção e popularização da Ciência”, disse Christiane.

Estiveram na reunião o Leônidas Medeiros, secretário executivo do MCTI e Ricardo Miranda, chefe da Casa Civil de Santa Catarina.

Notícias Relacionadas

Serviços avançam e comércio recua na participação no PIB desde 1947

Dados são de estudo da CNC, que comemora 75 anos

União deixa de gastar R$ 10,2 mi com compra centralizada de softwares

Novo modelo dispensa licitações semelhantes em vários órgãos

Larvas de Aedes Aegypti são encontradas no bairro Humaitá de Cima

As atividades do programa para o combate do inseto é diária

Frigoríficos de Lauro Müller recebem visita de técnicos do Ministério de Agricultura

As oficinas técnicas feitas em Lauro Müller auxiliam na organização interna das agroindústrias visitadas e integram o esforço da Associação dos Municípios da Região Carbonífera (AMREC) para que outros produtores da região possam receber o SISBI.