Geral

Em Porto Alegre, padre Ceron se comove com doações entregues pela Fontenella Transportes

Segurando a bandeira do Município de Lauro Müller em frente ao caminhão da empresa, ele gravou um vídeo de agradecimento.

Foto: Divulgação

O gesto de solidariedade dos moradores de Lauro Müller e região comoveu o padre lauromüllense Claudionir Ceron, que está realizando o trabalho de apoio às vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul. Ele é pároco da Paróquia Nossa Senhora Aparecida da Restinga e diretor do Centro Social Padre Pedro Leonardi, em Porto Alegre, e fará a distribuição dos itens essenciais arrecadados.

Até o momento, 18 carretas da Fontanella Transporte levaram as doações e há mais quatro a caminho. Emocionado, o padre Ceron gravou um vídeo de agradecimento. “Lá onde nasci, muitas mãos foram estendidas aos gaúchos. Gratidão ao padre Deonor, ao padre José Lino e toda a comunidade da Paroquia Imaculada Coração de Maria; à Fontanella Transportes por transportar todo esse amor e solidariedade de Santa Catarina até a Restinga; e a todas as pessoas que doaram”, afirmou.

O religioso também falou sobre o que essa iniciativa representa. “Estamos com o coração e a esperança renovados. Viver a solidariedade é acolher o amor de Deus e servir o outro. A situação aqui no Rio Grande do Sul levará anos para voltar, mas não como era antes. Só o amor é capaz de superar todos os obstáculos. Continuem doando e ajudando as pessoas vítimas pelas enchentes. Ainda teremos um longo caminho pela frente. Seguimos a nossa ultramaratona pela vida das pessoas que perderam tudo nessa tragédia. Estamos cansados, mas não podemos perder a fé”.

Apesar do carinho que sente por Lauro Müller, ele conta que por qual razão escolheu Porto Alegre para cumprir o seu propósito. “Tenho orgulho da minha origem, da minha família e da minha terra natal. Porém, a minha missão é caminhar ao lado das pessoas em situação de vulnerabilidade social. Escolhi essa missão para viver na prática o amor de Deus. Ele está presente na partilha, no cuidado e no respeito ao outro. Deus se manifesta em gestos pequenos, gestos de ternura e compaixão. E é isso que me move. Minha luta é para que todas as pessoas possam viver com dignidade”, declara.

Responsabilidade social

Entre os donativos, estão materiais de limpeza, roupas de cama, colchões, itens de vestuário, alimentos e rações e entre outros. As arrecadações foram feitas em pontos de coleta em Lauro Müller, Urussanga e Criciúma. Além disso, conforme o empresário Valdir Fontanella, clientes também se mobilizaram, inclusive do Nordeste e do Sudeste do Brasil. As entregas foram realizadas em Porto Alegre, Canoas, Gravataí, São Leopoldo, Estrela, São João do Polêsine e Campo Bom.

“Como cidadão e empresário, acredito que temos um papel fundamental e que podemos fazer a diferença em momentos de crise. A devastação do Rio Grande do Sul exige nossa união e agilidade. Felizmente, temos parceiros em todo o Brasil e conseguimos fazer essa conexão entre diferentes estados. Agradecemos a todos que vêm contribuindo para o sucesso desta campanha que ainda não se encerrou. Continuaremos trabalhando juntos para garantir que as famílias afetadas recebam a assistência necessária para reconstruir suas vidas”.

Esta não é a primeira vez que a Fontanella Transporte atua em ações humanitárias, demonstrando a responsabilidade social e o compromisso com as comunidades onde atua. Em 2022, a empresa transportou 400 toneladas de doações para o Sul da Bahia e, em 2023, 185 toneladas também para o Rio Grande do Sul, ambas voltados às vítimas de enchentes.

Notícias Relacionadas

Thiago Fontanela: Carbonífera Catarinense comemora 25 anos com missa

Atualmente a empresa emprega 600 empregos diretos e colabora para mais 5000 indiretamente, esse número deve crescer ainda mais com o decorrer dos anos

Tigre vence o Botafogo por 2 a 1 e sobe para 13º lugar no Brasileirão

Agiotas que cobravam dívidas até no local de trabalho das vítimas são presos em SC

Empresário está entre os presos

Fim de semana de veranico antecede chuvas e temporais em Santa Catarina

Esse novo veranico de junho antecede a passagem de uma frente fria