Geral

Em três meses, preço da gasolina sofre 19 aumentos

Último reajuste praticado nas refinarias elevou em R$ 0,10 o litro do combustível, chegando a R$ 1,9354. Fatores encarecem produto até chegar ao consumidor.

Foto: Divulgação

Quem possui um automóvel está acostumado aos altos e baixos no valor pago pelo combustível. Apenas neste ano, o preço da gasolina A praticado nas refinarias já sofreu 24 reajustes. Desse total, foram 19 aumentos e apenas cinco quedas. A última elevação ocorreu na sexta-feira, 5, e foi mantida nessa segunda-feira, 8, pela Petrobras: a média às distribuidoras está em R$ 1,9354, um acréscimo de R$ 0,10 ao registrado até a semana passada e o patamar mais alto desde o dia 30 de outubro de 2018.

De acordo com o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo de Santa Catarina (Sindipetro/SC), essa nova alta da gasolina praticada pela Petrobras foi de 5,6%. Segundo dados da própria estatal, só neste ano, o aumento na refinaria alcançou 28,3%.

Se nas refinarias e distribuidoras o valor está alto, para os consumidores a situação não é diferente. Em nota, o sindicato manifestou surpresa com o novo aumento praticado pela Petrobras e reforçou as condições que pesam para encarecer o produto comercializado aos motoristas. “O Sindipetro/SC lembra que até chegar ao posto, o preço da gasolina sofre influência de diversos fatores: adição de etanol, impostos federais e estaduais, que representam cerca de 45% do valor do combustível, margem de lucro da distribuidora e frete. Fatores que fazem o preço da gasolina chegar ao posto com valor superior ao dobro do que quando saiu da refinaria”, explica a entidade que representa os estabelecimentos do ramo.

Com informações do Portal DNSul

Notícias Relacionadas

Procon autua posto de combustíveis por preço abusivo em Criciúma

Operação irá fiscalizar 40 estabelecimentos do município, três já foram autuados.

Administração Municipal de Orleans envia projeto de aumento aos servidores para votação na Câmara

Proposta do executivo é de aumento de 5,07% e mais 20% no vale-alimentação

Após ameaças, abastecimento de combustível é suspenso na região da AMESC

Postos já registram falta de gasolina e diesel, em Orleans e Lauro Müller