Geral

Embaixada do Brasil na Ucrânia pede que brasileiros fujam para países vizinhos

Nota publicada nas redes sociais pede que brasileiros deixem o país atacado pela Rússia o mais rápido possível

Divulgação

A Embaixada do Brasil na Ucrânia publicou nas redes sociais na manhã desta quinta-feira (24) uma nota pedindo que os brasileiros que estão no país, se desloquem para países vizinhos o mais rápido possível. A decisão ocorreu após a Rússia atacar a Ucrânia durante a madrugada.

“Aos brasileiros em Kiev, a recomendação das autoridades ucranianas, no momento, é não sair, tendo em conta grandes engarrafamentos nas saídas da cidade. Os brasileiros que buscarem deixar a cidade nesse momento devem contar com grandes dificuldades. Solicita-se aguardar novas instruções da embaixada”, diz um trecho da mensagem.

As filas quilométricas para deixar a capital foram registradas por moradores e compartilhadas nas redes sociais ao longo da manhã desta quinta.

Ainda segundo a nota, a recomendação para brasileiros que estão na região leste do país e não puderem seguir viagem para a região oeste de maneira segura, devem ir para Kiev e contatar a embaixada. “Plantão consular +380 50 384 5484. Solicita-se que o número seja utilizado apenas em caso de necessidade extrema”, explica outro trecho.

Aos brasileiros que não puderem deixar o país de modo seguro, a embaixada orienta a procurar um local seguro para o momento, longe de bases militares, instalações responsáveis pelo fornecimento de energia e internet e áreas responsáveis pela produção de energia elétrica.

Com informações do NSCTotal

Notícias Relacionadas

UniSatc apresenta projetos aprovados para a turma de 2022 do Cocreation Lab

Evento fez parte do Noites de Inovação e contou com bate-papo sobre investimentos em startups

Coração viaja 200 km de helicóptero para ser transplantado em SC

Para o coordenador do projeto, o médico Joel de Andrade, o tempo é um fator essencial para este tipo de operação

Quadrilha suspeita de sequestrar caminhoneiros é presa em SC

A partir da investigação da DIC de Joinville, sete pessoas foram presas nesta sexta-feira; três caminhoneiros em cativeiro foram libertados

Covid: ministério recomenda dose de reforço para adolescentes

Imunizante deve ser aplicado quatro meses após segunda dose