Saúde

Empresa que forneceu máscaras impróprias para escolas de SC quer manter contrato

Itens fora do padrão especificado pelo edital foram encontrados em diversas unidades

Divulgação

A empresa que forneceu máscaras impróprias para escolas estaduais de Santa Catarina pede que o contrato com o Estado seja mantido. O fim da relação comercial foi determinado pelo Tribunal de Contas (TCE-SC) após itens fora do padrão licitado serem encontrados em várias unidades.

Em um ofício encaminhado à Secretaria de Estado da Saúde (SED), a Rama Comércio e Importação de Produtos Personalizados, que hoje tem o nome de WWT Comercial, admitiu que “pode ter ocorrido, que uma pequena quantidade apresente alguma desconformidade ou defeito de fabricação”. A empresa diz que entregou 14 milhões de máscaras pela empresa.

No documento, contudo, a empresa afirma que a quantidade encontrada com defeito é pequena e que faria a substituição, como determina o edital. Assim, para a Rama, não existiria irregularidade.

Procurado pela NSC TV, o representante da Rama disse que o material separado pela secretaria está de acordo com o edital e está convicto de que a empresa fez tudo da forma correta.

A suspensão do contato foi determinada pelo TCE no dia 21 de setembro. A decisão do conselheiro relator Cesar Fontes também pediu o recolhimento das máscaras impróprias.

Ainda no ofício, a Rama se compromete a entregar 6 milhões de máscaras caso o contato não seja suspenso.

Em nota enviada à NSC TV, a SED informou que todas as máscaras fora do padrão foram retiradas das escolas. A secretaria disse ainda que está tomando medidas administrativas e judiciais para que a empresa troque as máscaras e faça o ressarcimento dos cofres públicos.

A reportagem do Diário Catarinense questionou a SED sobre a quantidade de máscaras encontradas fora dos padrões, mas não obteve retorno até a publicação da notícia.

Com informações do NSCTotal

Notícias Relacionadas

Vizinho e mulher são presos por estuprar menina de 7 anos em SC

Polícia Civil diz que exame realizado na criança confirma violência sexual; homem de 53 anos é vizinho da vítima

SC investiga dois casos suspeitos de varíola dos macacos; veja o que se sabe

Investigação é realizada pelo Lacen (Laboratório Central de Santa Catarina); até o momento, são 37 casos registrados no país

Briga entre policiais em saída de balada termina em agressão e tentativa de calar vítima em SC

Um dia após as agressões, policial militar teria tentado "calar" vítima oferendo R$ 20 mil para evitar exame de corpo de delito, afirma homem em depoimento

Estrela de constelação Orion ganha nome de Jesse e Shurastey: ‘Presente inimaginável’

Inscrição foi feita na noite de quarta-feira e é aberta ao público. Página da estrela acumula comentários de seguidores e fãs do influenciador.