Geral

Escassez de água gera preocupação no período de veraneio

A demanda de consumo de água no verão aumenta consideravelmente em municípios com faixa litorânea inseridos na bacia do rio Urussanga.

Foto: Divulgação

A demanda de consumo de água no verão aumenta consideravelmente em municípios com faixa litorânea inseridos na bacia do rio Urussanga. A situação gera preocupação e o alerta é feito à população pelo Comitê da Bacia do Rio Urussanga, órgão colegiado que toma as decisões referentes aos usos da água no domínio deste território.

De acordo com dados de empresas de saneamento das cidades de Balneário Rincão e Jaguaruna, o aumento no consumo de recursos hídricos durante esta temporada varia de 100% a 300%. O comparativo é feito entre os períodos de baixa e alta temporada. Segundo o Samae de Balneário Rincão, a água é utilizada em dobro e inclusive já registra uma baixa no nível da lagoa de captação.

“No inverno temos registros de 80 a 100 litros por segundo. Já no verão sobre de 180 a 200 litros por segundo. Algumas vezes temos que manter todas as bombas ligadas 24 horas. Fazemos uso da água da Lagoa do Faxinal para a Estação de Tratamento de Água. Desde dezembro já baixou 25 centímetros esta lagoa de extensa área, o que mostra grande quantia de água consumida. Devemos lembrar que dependemos de água para viver e por isso é fundamental usar com consciência”, salienta o engenheiro químico do Samae de Balneário Rincão, Jean Paulo Zappelini.

O profissional orienta para atitudes voltadas ao uso racional. “Ações como utilizar de forma breve o chuveirão na beira mar, não lavar os carros com frequência, usar por mais tempo a água de piscinas, não lavar calçadas e regular o tempo de banho podem contribuir para minimizar o consumo. Estes gestos irão resultar em ganhos no abastecimento constante”, frisa.

Aumento em Jaguaruna é de 300%

Em Jaguaruna, a empresa Águas de Jaguaruna utiliza as águas da Lagoa do Arroio Corrente como fonte de abastecimento de água bruta. A captação está localizada às margens das Dunas. A empresa também realiza o mesmo processo na Lagoa do Balneário Esplanada.

Por se tratar de balneários, o consumo é basicamente para residências. No inverno, a média diária é em torno de 8 m³ por hora. Mas no verão, a média chega a 32 m³ por hora. “Durante a temporada o aumento no consumo chega a 300%. Uma das maiores preocupações em um sistema de abastecimento de água é o manancial que fornece a água bruta para o tratamento e posterior distribuição. Em Jaguaruna captamos água da lagoa, que nos fornece uma água de ótima qualidade e suficiente para os períodos de maior consumo”, esclarece o químico responsável técnico pelo tratamento de água na empresa Águas de Jaguaruna, Rafael Macieski.

A Águas de Jaguaruna desenvolve projetos como “Fazendo a Limpa”, “Uma Vida Rega a Outra” e “Viva a Lagoa” que, de acordo com a empresa, são ações que visam proteger os mananciais e garantir água para as próximas gerações.

Dicas para evitar escassez 

Preocupado com a conscientização dos cidadãos inseridos nestes municípios de faixa litorânea, o Comitê da Bacia do Rio Urussanga traz orientações, em parceria com as empresas de saneamento Balneário Rincão e Águas de Jaguaruna, a respeito de atitudes a fim do uso racional de recursos hídricos.

– Não lavar o carro com mangueira, mas quando houver necessidade abrir a torneira apenas quando for tirar a espuma;

– Fechar a torneira aos escovar os dentes;

– Substituir antigas válvulas de descarga na parede por caixas de descarga;

– Usar o chuveirão na beira mar de forma breve apenas para tirar o sal rapidamente, visto que a maioria das pessoas chega em casa e toma outro banho;

– Quando lavar a louça, ensaboar e posteriormente lavar tudo de uma vez;

– Não lavar calçadas;

– Investir num sistema de captação de água da chuva para uso em descarga de banheiros, limpeza de pátio e para regar plantas.

Colaboração: Comunicação Comitê Rio Urussanga

Notícias Relacionadas

SAMAE de Orleans restabelece abastecimento de água nas comunidades de Sesmaria e Oratório

Governador fará lançamento de Plano de Bacia em Urussanga

Temporada dobra o número de habitantes e Imbituba sofre com a falta de água

Estima-se que a Capital Nacional da Baleia Franca esteja com mais de 80 mil pessoas circulando pela cidade.

Em assembleia, Comitê Urussanga aprova substituição de novos membros

Na oportunidade, os participantes deliberaram sobre assuntos ligados ao órgão.