Geral

Ex-ministro José Gomes Temporão, debate Saúde Coletiva em evento da Unesc

Temporão vai dialogar com estudantes, professores, profissionais e público em geral sobre os “Desafios da saúde brasileira em um mundo em transformação”.

Foto: Divulgação

A Unesc recebe esta semana o ex-ministro da Saúde e doutor em Saúde Coletiva, José Gomes Temporão, para a Aula Inaugural do Mestrado em Saúde Coletiva.

Em sua vinda para Criciúma, Temporão vai dialogar com estudantes, professores, profissionais e gestores de saúde, e demais pessoas interessadas sobre os “Desafios da saúde brasileira em um mundo em transformação”. O evento é uma realização do PPGSCol (Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva) e do Programa de Residência Multiprofissional da Universidade.

Segundo a reitora da Unesc, Luciane Ceretta, a vinda de Temporão é um momento impar para dialogar sobretudo em relação ao momento vivido em relação às políticas públicas de modo geral e a política nacional de saúde de modo geral. “Teremos imensa satisfação em receber aqueles que quiserem discutir e refletir sobre os destinos do SUS no país. Importante salientar que 80% da população tem acesso à saúde exclusivamente pelo Sistema Único de Saúde”.

A escolha por Temporão para marcar o início das atividades do primeiro semestre de 2018 do Mestrado em Saúde Coletiva e da Residência Multiprofissional se deu pelo desempenho do professor doutor na área. “O doutor José Gomes Temporão é uma das referências de trabalho em Saúde Coletiva e vem colaborando há muito tempo para o desenvolvimento de políticas públicas na área. A ideia de fazer um evento aberto ao público tem o objetivo de oportunizar que profissionais de saúde de toda a Amrec e Amesc possam participar deste momento que também será de reflexão sobre o assunto”, afirma a coordenadora do PPGSCol, Lisiane Tuon.

O coordenador do Programa de Residência Multiprofissional da Unesc, Jacks Soratto, lembra que a Aula Inaugural será também uma possibilidade de estudantes dos cursos de graduação, pós e mestrado da Universidade ampliarem o debate sobre Saúde Coletiva na região.

Unesc na Saúde Coletiva

Nos últimos 15 anos tem se engajado fortemente na região com as iniciativas que movimentam a Saúde Coletiva. Em 2003 a Universidade participou da implantação dos Polos de Educação Permanente em Saúde e a Unesc sediou o Polo da Região Carbonífera. Em 2008 a Instituição ingressa no Programa Nacional de Reorientação da Formação Profissional em Saúde, com projetos como especializações na área financiadas pelo Ministério da Saúde. No mesmo ano, a Unesc integra a Rede Nacional do Programa do Programa de Educação pelo Trabalho na Saúde, com a finalidade de qualificar não só trabalhadores da saúde mas também acadêmicos, preparando eles para o cenário de práticas que conviveriam após a formação.

Em 2009 a Unesc aprova o seu primeiro Programa de Residência Multiprofissional em Saúde Coletiva, com cerca de 20 residentes de todos os cursos da área da Saúde – que anualmente vem sendo renovado. Em 2015 a Universidade aprovou junto a capes o seu o Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, com profissionais formados já atuando na região. Recentemente, a Unesc lançou o Núcleo de Saúde Coletiva, para contribuir com a área no Sul do Estado

Segundo a reitora da Unesc, Luciane Ceretta, a Universidade é um local de conhecimento científico e a Saúde Coletiva é uma das que mais produz dentro esse tipo de conhecimento dentro da saúde. “A Unesc ela se posiciona sempre defendendo todas as políticas públicas de saúde. Primeiro, porque é um direito constitucional e na sequencia porque a Saúde Coletiva e as áreas que a compõem como por exemplo, a promoção da saúde são essenciais para a preservação da vida humana, então a Instituição trabalha fortemente com programas que produzem conhecimento, que produzem educação em saúde, informações para o autocuidado e portanto, contribui muito com a comunidade”, afirma a reitora.

Ex-ministro se destaca pelo trabalho em prol da Saúde Coletiva

Temporão atua como professor e pesquisador do Departamento de Administração e Planejamento de Saúde da Escola Nacional de Saúde Pública da Fiocruz. Ao se especializar em Doenças Infecciosas e Tropicais, teve o contato inicial com a área de Saúde Pública. Posteriormente, destacou-se ao participar do movimento sanitarista, que resultou na criação do SUS (Sistema Único de Saúde).

Durante a sua gestão INCA (Instituto Nacional do Câncer), foram implantados o Projeto de Humanização e o processo de Acreditação Hospitalar em todas as unidades assistenciais, além da criação do Banco Nacional de Tumores e DNA e da Campanha de Doação de Medula Óssea em todo o território nacional.

O médico sanitarista também participou do Grupo de Trabalho Intergovernamental de Composição Aberta da Convenção-Quadro, e do grupo de conselheiros internacionais para desenvolvimento de uma estratégia global para o controle do câncer, ambos no âmbito da Organização Mundial da Saúde.

Em julho de 2005 ele deixou o INCA para chefiar a Secretaria de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde. Em março de 2007 foi nomeado Ministro da Saúde, cargo que exerceu até 2011.

Formação acadêmica de José Gomes Temporão

• Médico pela Faculdade de Medicina da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro)

• Especialista em Doenças Infecciosas e Parasitárias pela UFRJ

• Especialista em Saúde Pública pela Escola Nacional de Saúde Pública da Fiocruz

• Especialista em Planejamento de Saúde pela Escola Nacional de Saúde Pública da Fiocruz

• Mestre em Saúde Pública pela Escola Nacional de Saúde Pública da Fiocruz

• Doutor em Saúde Coletiva pelo Instituto de Medicina Social da UERJ (Universidade Estadual do Rio de Janeiro)

 

 

Colaboração: Assessoria de Imprensa da Unesc

Notícias Relacionadas

ExpoMais é oficialmente lançada nesta segunda-feira

O evento terá palestras principais com nomes de renome nacional, além de outros espaços que estarão à disposição do público e que serão reveladas no evento de lançamento desta segunda-feira.

Ministro de Minas e Energia defende futuro sustentável para setor energético em palestra na Satc

Durante visita à Satc, ministro Bento Albuquerque conheceu projeto inédito na América Latina

Seminário discute desenvolvimento da cadeia leiteira no Sul de Santa Catarina

Instituições de ensino da região informam sobre situação das aulas