Saúde

Faltando duas semanas, 57% vacinados contra a gripe

Campanha segue até o dia 31, sem previsão de prorrogar. Depois, as doses restantes serão distribuídas.

Foto: Maurício Vieira/Secom

A região carbonífera está acima da média estadual na abrangência alcançada, até aqui, na Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza. Enquanto em Santa Catarina a Divisão de Vigilância Epidemiológica (Dive) vacinou 52,48% das pessoas enquadradas no público alvo, nos doze municípios da Amrec o índice é de 57,54%. Já foram aplicadas 68.798 doses.

“A campanha segue até o próximo dia 31, sem previsão de prorrogação. Logo, alertamos as pessoas que integram os grupos de público alvo que procurem logo os postos dos doze municípios”, reforça o gerente regional de Saúde, Fernando de Fáveri. “Depois do dia 31, as doses que sobrarem serão distribuídas”, destacou.

O município que mais está se destacando na campanha na região é Balneário Rincão, que já atingiu 86,14% da meta, seguido por Treviso, com 84,13%, e Cocal do Sul, que vacinou 68,61% do público alvo. Entre os que menos vacinaram estão Criciúma, com 52,88%, Orleans, com 55,04%, e Içara, 55,76%.

Por município

  • Balneário Rincão – 86,14%
  • Treviso – 84,13%
  • Cocal do Sul – 68,61%
  • Urussanga – 65,15%
  • Siderópolis – 62,91%
  • Forquilhinha – 62,34%
  • Morro da Fumaça – 61,33%
  • Nova Veneza – 60,36%
  • Lauro Müller – 59,48%
  • Içara – 55,76%
  • Orleans – 55,04%
  • Criciúma – 52,88%

Em Santa Catarina

A meta estadual apontada pelo Ministério da Saúde é vacinar 90% dos grupos prioritários, bastante acima dos 52,48% alcançados até agora. “O vírus da gripe circula o ano todo, mas a transmissão é maior do inverno, quando as pessoas buscam se abrigar do frio em ambientes fechados. A vacina é capaz de promover imunidade durante todo esse período de maior circulação dos vírus, reduzindo o agravamento”, explica a gerente de imunização da Dive, Lia Quaresma Coimbra.

No estado, fazem parte dos grupos com prioridade 2.000.034 pessoas.

Cobertura vacinal por grupo:

  • crianças (6 meses a menores de 6 anos): 50,68%
  • gestantes: 49,73%
  • trabalhadores da saúde: 42,35%
  • mães até 45 dias após o parto: 68,44%
  • povos indígenas: 65,71%
  • idosos com 60 anos ou mais de idade: 66,23%
  • professores: 53,78%
  • portadores doenças crônicas e condições especiais: 40,95%
  • população privada de liberdade e funcionários: 19,65%
  • funcionários do sistema prisional: 24,18%
  • profissionais das forças de segurança e salvamento: 21,43%

Gripe em Santa Catarina

Até o último dia 10, no estado, já foram confirmados 32 casos de influenza, 26 pelo vírus A H1N1 e seis pelo vírus A H3N2. As ocorrências são de Blumenau (6 casos), Florianópolis (4 casos), Chapecó, Itajaí e Joinville (3 casos), Jaraguá do Sul e Tubarão (2 casos cada), Braço do Norte, Brusque, Camboriú, Criciúma, Lages, Maravilha, Palhoça, Pomerode e São José, com 1 caso cada.

Dos 32 casos de influenza, 22 apresentaram algum fator de risco associado, dos quais 10 eram idosos (acima de 60 anos); 2 crianças menores de 2 anos; 1 obeso e 9 eram portadores de doenças crônicas.

Três pessoas morreram, todas pelo vírus A (H1N1). Um homem, de 52 anos, morador de Tubarão; uma mulher, de 79 anos, moradora de Blumenau; e uma mulher, de 48 anos, moradora de Jaraguá do Sul. Os três apresentaram algum fator de risco para o agravamento da doença.

Com informações do site 4oito

Notícias Relacionadas

Vigilância em Saúde de Criciúma promove oficina para planejar ações, prevenção e controle de doenças

Capacitação aconteceu na Universidade do Extremo Sul Catarinense (Unesc)

Plaszom promove palestras de prevenção e qualidade de vida para colaboradores em Orleans

Durante os dias 11 a 14, a empresa realizou a Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho (Sipat) no auditório da Sede

Setembro Amarelo: ações de valorização da vida e prevenção ao suicídio são realizadas em Lauro Müller

O tema é considerado um problema de saúde pública e mata um brasileiro a cada 45 minutos e uma pessoa a cada 45 segundos em todo mundo.

Paif de Siderópolis debate prevenção ao uso e abuso de drogas

Os palestrantes apresentaram quais são as drogas lícitas e ilícitas e seus efeitos, e o que acontece com as pessoas e suas famílias que fazem o uso.