Segurança

Família é presa em Braço do Norte, apontada por dois assassinatos em quatro dias

Um casal, com um adolescente de 16 anos, foi preso após perseguição de mais de 20 km; além de um homicídio em Laguna, outro em Orleans, o trio é investigado por tráfico de drogas.

Divulgação

Um homem de 25 anos, sua esposa, de 29, e o enteado, de 16, foram presos suspeitos de dois assassinatos em um intervalo de quatro dias. Os crimes, a princípio sem relação, ocorreram respectivamente nos municípios de Laguna e Orleans.

As motivações, de acordo com a Polícia Civil, teriam sido ciúmes e dívidas provenientes do tráfico de drogas.

A prisão dos três suspeitos foi consolidada somente na tarde da quinta-feira, em Braço do Norte, onde eles residiam. A captura só aconteceu depois de intensa perseguição onde, já detidos, confessaram os crimes à Polícia.

Primeiro crime

O primeiro assassinato foi na região da Barra do Camacho, limite entre os municípios de Laguna e Jaguaruna, na noite do último sábado (21), onde os três suspeitos estavam hospedados.

Segundo a investigação comandada pelo delegado Bruno Fernandes, titular da DIC (Divisão de Investigação Criminal) de Laguna, pai e filho saíram para pescar na região denominada Lagoa do Camacho. A matriarca, ainda conforme apurado, teria ficado na residência de familiares.

Ao retornarem da pescaria, pai e filho foram surpreendidos pelo relato da mulher que revelou ter sido assediada. O suposto delito teria sido praticado por um morador das imediações que, conforme a vítima, havia pedido para se relacionar sexualmente com ela.

Irritados, pai e filho foram até a casa do suposto agressor tirar satisfação e, ao chegarem no local, se depararam com o suspeito dormindo em uma rede. As investigações apontam que o homem foi amordaçado e espancado antes de, desacordado, ser levado para a Barra do Camacho, um canal que liga a Lagoa Jaguaruna ao mar.

No local o homem, de 36 anos, apanhou mais antes de ser arremessado dentro da água. O cadáver foi encontrado na manhã seguinte, por volta das 10h. Apesar de sinais de espancamento, o laudo do IGP (Instituto Geral de Perícias) concluiu que a morte ocorreu por afogamento.

Segundo crime

O segundo delito foi registrado na madrugada da última quarta-feira (25). Os dois homens – apontados como autores do primeiro homicídio – teriam ido até a residência de um casal em Orleans, a 24 km de Braço do Norte, cobrar uma dívida proveniente do tráfico de drogas.

A Polícia Civil revelou que a família já era investigada pela comercialização de drogas no local. Segundo Ricardo Kelleter, que atua como delegado substituto no município de Orleans, os dois suspeitos chegaram à residência das vítimas, invadiram o local e com auxílio de uma barra de madeira, espancaram marido e mulher.

Policiais chegaram no local somente na manhã seguinte e se depararam com a casa bagunçada e com manchas de sangue. O homem já estava morto. A mulher foi encaminhada Hospital Santa Teresinha, em Braço do Norte, onde está na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) em estado grave.

Relação entre os crimes desfeita

Em contato interno a Polícia Civil concluiu que, a partir das investigações colhidas no Sul e no Norte, tratava-se das mesmas pessoas. Agentes lotados em Laguna, responsáveis pelo inquérito do primeiro assassinato, já estavam em Braço do Norte atrás dos suspeitos.

Pouco antes de serem abordados em casa, o trio empreendeu fuga por uma estrada alternativa, no interior de Braço do Norte. Foram 20 km de fuga até os criminosos serem capturados no bairro Pinheiral, interior do município.

O casal, de 25 e 29 anos, respectivamente, foi preso em flagrante e levado até a unidade prisional avançada de Laguna. O adolescente, por sua vez, foi apreendido por ato infracional e internado em instituição não revelada pela Polícia.

Os inquéritos, assim que concluídos, deverão ser entregues à Justiça em prazo legal de dez dias.

Com informações do site ND Mais

Notícias Relacionadas

Revólver, munições e droga são encontrados durante blitz realizada pela PMRv de Içara

Polícia Civil cumpre mandados contra suspeitos de latrocínio em Sombrio

DIC de Criciúma apreende 1,5 kg de maconha e munição de calibre restrito

Família informa morte de empresário suspeito de estar com Coronavírus em Criciúma

A vítima estava internada na UTI e ainda aguardava os resultados dos exames de Covid-19