Geral

Flagrante de ônibus lotado em Criciúma mostra desrespeito ao decreto

Imagem foi registrada por um passageiro na tarde de ontem.

Divulgação

Um flagrante mostra o desrespeito ao decreto anunciado pelo Governo do Estado na semana passada. Embora seja obrigatório apenas 50% da capacidade total nos ônibus, a realidade vista nos terminais criciumenses é outra. Aglomeração, não cumprimento ao distanciamento social imposto e falta de fiscalização são predominantes, principalmente, nos horários de pico.

“É direto, todo o dia assim. Não tem fiscalização, eles acabam se escondendo, tu não acha um (fiscal) lá, não aparece”, explica o criciumense, que utiliza diariamente o transporte, Nilton Cardoso. “Eu achei um absurdo, um exagero hoje (ontem). Depois que as aulas voltaram e os ônibus atrasaram. Em dois ônibus, a aglomeração é de mais de 100 pessoas que estavam ali”, completa.

Além disso, o cenário é tumultuado, já que as pessoas precisam se deslocar para irem embora, mas os terminais estão lotados. “Vão todos amontoados, encostados um em outro. Eles até tiraram o banco, mas isso foi essa semana, antes estava tudo normal”, enfatiza Cardoso. “A gente reclama, mas ninguém resolve, o pessoal acaba desistindo”, ressalta.

Com a volta às aulas e a redução de passageiros por conta do atual decreto, a situação é essa: ônibus e terminais lotados, principalmente, em horários de pico. “Antes era bem mais tranquilo, tinha aglomeração, mas não é como depois que os colégios voltaram”, comenta o criciumense. O registro fotográfico foi tirado no Terminal Central, em Criciúma, no fim da tarde de segunda-feira, quando estudantes e trabalhadores estavam em deslocamento para o Rio Maina.

A Vigilância Sanitária de Criciúma foi procurada pela reportagem do Jornal Tribuna de Notícias, mas, até o fechamento desta matéria, não houve retorno.

Com informações do site TNSul

Notícias Relacionadas

Amurel recomenda que municípios adotem nova quarentena por causa da Covid-19

Associação dos Municípios da Região de Laguna (Amurel) contempla 18 prefeituras. A situação da região é considerada gravíssima pelo governo de Santa Catarina em relação à doença.

Prefeito de Nova Veneza assina decreto de formação da Comissão de Acompanhamento, Controle, Prevenção e Monitoramento ao Coronavírus

Nova Veneza não tem casos confirmados da doença, apenas pessoas em isolamento domiciliar que já foram acompanhados, mas devem permanecer em quarentena pois chegaram de viagem.

Coronavírus em SC: Fapesc aprova cinco projetos de pesquisa e destina R$ 500 mil a estudos sobre Covid-19 no estado

O edital buscava estudos que apontassem soluções para o combate à epidemia e seus efeitos na sociedade e na economia.

STF autoriza SC a utilizar recursos do pagamento da dívida com a União no enfrentamento da Covid-19

O pedido foi protocolado pela Procuradoria-Geral do Estado de Santa Catarina (PGE) para garantir que a União deixe de aplicar qualquer tipo de penalidade ao estado em razão da suspensão dos pagamentos.