Geral

Força-tarefa da CASAN combate fraudes no uso da água

Apenas 16% podem ser considerados perda física de água, ou seja, vazamentos em redes − um índice muito abaixo da média nacional.

Foto: Divulgação

Em obediência à política de fiscalização e controle de perdas, a CASAN de Criciúma está intensificando as fiscalizações com o objetivo de combater eventuais fraudes nas ligações de água.

Realizada por uma força-tarefa, a ação que está em andamento na cidade fiscaliza principalmente as ligações que já foram cortadas e, portanto, não deveriam estar religadas sem autorização da empresa, o que constitui crime. A partir desta quarta-feira as equipes providenciarão o corte no ramal das unidades que estão violando o uso da água.

Com um conjunto de ações, a CASAN vem conseguindo reduzir o índice de perdas de água em Criciúma: hoje este percentual é de 33%. As perdas comerciais estão em 50% e são oriundas de fraudes nos hidrômetros, ligações clandestinas e também do não-pagamento. Apenas 16% podem ser considerados perda física de água, ou seja, vazamentos em redes − um índice muito abaixo da média nacional.

“O principal intuito desta ação é conscientizar a população sobre a importância de fazer uso correto da água”, explica o chefe da Agência de Criciúma, engenheiro Jaison Araújo Speck. “O combate às fraudes beneficia principalmente os consumidores que pagam em dia sua tarifa, que são a esmagadora maioria da população do município”.

Colaboração: Comunicação Casan

Notícias Relacionadas

ALERTA: Período de seca pode comprometer consumo de água em Lauro Müller

A represa localizada em Rio Bonito, a qual abastece os setores de abrangência da companhia em Lauro Müller, está quase seca.

Samae de Orleans celebra 47 anos de fundação e inaugura obras de reforma da sede

Investimentos de quase meio milhão de reais visam oferecer um atendimento com mais qualidade aos consumidores e melhores condições de trabalho.

Cidades do Sul querem participação nos lucros da Casan

Os seis municípios, abastecidos pela barragem do Rio São Bento, podem formar um Consórcio para captação, tratamento e distribuição da água para região

Novas análises apontam zero resquício de agrotóxicos na água de Orleans

Após polêmica levantada com publicação do MPSC, Samae de Orleans realizou contraprova com o mesmo laboratório, que não apontou nenhum traço de agrotóxico.