Geral

Fuga de detentos do Presídio Masculino de Tubarão será investigada

Os presos pularam o muro durante o banho de sol. De acordo com a Polícia Milirar (PM), os detentos cumpriam pena no regime semiaberto e fechado.

Divulgação

As circunstâncias da fuga dos quatro detentos do Presídio Masculino de Tubarão, na tarde de ontem, e eventuais responsabilidades, serão apuradas pela corregedoria do Departamento de Administração Prisional (Deap). Os presos pularam o muro durante o banho de sol. De acordo com a Polícia Milirar (PM), os detentos cumpriam pena no regime semiaberto e fechado.

Logo após a fuga, equipes da PM, com o apoio do helicóptero do Serviço Aeropolicial da Polícia Civil (Saer) de Criciúma, realizaram buscas, mas até o fechamento desta edição ninguém foi localizado. Os foragidos são: Natan Machado da Silva, de 20 anos, natural de Rio Fortuna; Welliton Pereira Camilo, de 24 anos, natural de Braço do Norte; Osvaldo Henrique Zappe, de 27 anos, natural de Foz do Iguaçu; e Jean Franck Machado, de 34 anos, natural de Tubarão.

A PM orienta que, se alguém tiver alguma informação do paradeiro dos detentos ou perceber qualquer pessoa em atitude suspeita, acione a guarnição através do 190.

Com informações do Jornal Diário do Sul 

Notícias Relacionadas

Presídio de Araranguá beneficiado com verbas de penas pecuniárias do sul do Estado

O Presídio Regional de Araranguá promoveu, na última sexta-feira (19), a inauguração da sala de aula e da biblioteca daquela unidade.

Após bater em viatura, motorista abandona veículo com 589 kg de maconha

Suspeito não obedeceu ordem de parada e bateu contra viatura ao tentar furar bloqueio.

VÍDEO: Motociclista cai da ponte após fugir da polícia, em Lauro Müller

O jovem, de 18 anos, portava maconha. Ele desrespeitou a ordem de parada da Polícia Militar e dispensou a droga antes de sofrer o acidente.

Tribunal de Justiça nega prisão domiciliar a detento que poderia fazer tratamento de saúde no presídio

O detento passou por perícia de um médico legista, que ressaltou a possibilidade de continuar o tratamento do detento na própria prisão