Geral

Gincana solidária do Colégio São Bento ajuda a construir escola na África

Projeto é coordenado pela Congregação das Irmãs Beneditinas

O destino das crianças que moram na comunidade de Lisanjala, no Malawi, país localizado na África Oriental, está mudando para melhor e conta com a colaboração dos alunos do Colégio São Bento para que isso aconteça. Desde maio, os estudantes realizam a gincana solidária, sob a supervisão da Congregação das Irmãs Beneditinas da Divina Providência, que administra o colégio e coordena a missão no país africano. A missão das irmãs já completou seis anos e auxilia as crianças da região, dando desde alimentação até roupas, educação e outras assistências.

O projeto mais recente para o local é a construção da primeira escola de Ensino Médio do lugar, o Colégio São Bento do Malawi, que no momento já está sendo levantada, mas ainda precisa de muitas melhorias. É para contribuir com essas melhorias que os alunos de Criciúma estão rifando uma iPad 4 que terá a verba arrecada posteriormente utilizada para comprar as carteiras para as salas de aula e uniformes para os alunos. Participam da venda dos bilhetes aproximadamente 750 alunos, do 6º ano do Ensino Fundamental ao 3º ano do Ensino Médio. “Os alunos estão empenhados e os professores também se mobilizaram. Eu acredito que conseguiremos vender todos os bilhetes”, comenta a responsável pela ação, Giselle De Bem, coordenadora de informática do colégio. O resultado das vendas será divulgado no dia 18 de julho, dia da gincana.

“Nós já temos uma creche lá e agora vamos fazer a escola de Ensino Médio que deve começar a ter aulas em setembro. Cada instituição da Congregação está ajudando e nós do Colégio São Bento estamos fazendo essa rifa que eu tenho certeza que vai vender tudo porque os pais dos alunos têm um coração bom e sempre colaboram com as causas sociais”, comenta a diretora do colégio, Irmã Analuísa Venturini.

Relato incentiva continuação do trabalho

Uma das irmãs que coordena o trabalho no Malawi, Irmã Sonia Mabel Medina Arguello, escreveu sobre a situação no país e comentou sobre os avanços obtidos nesses seis anos de missão. Segundo ela, muitas das crianças atendidas são órfãs, pobres e mal nutridas. A fome, inclusive, foi um dos primeiros problemas amenizados. “Hoje conseguimos atender com ajuda de doações 700 alunos com a merenda escolar.  O diretor da escola disse que o rendimento dos alunos tem melhorado muito após o início deste projeto, porque o estômago deixou de incomodar”, conta Irmã Sonia na carta. Outra escola localizada nas proximidades também recebe o projeto da merenda escolar e lá são auxiliados mais 564 alunos.

Outro projeto iniciado pela missão está dando um novo rumo para as mulheres da comunidade. Desde meados de 2012 foi iniciado o curso que as ensina a bordar, costurar e tricotar. “Pouco a pouco, as mulheres do projeto aprendem a ganhar seu pão diário com o fruto do trabalho que fazem, sejam estes roupas para bebê, uniformes escolares”, explica. Essas peças são, em sua maioria, levadas para outras cidades e até mesmo outros países para serem vendidas.

A necessidade de um colégio de Ensino Médio, de acordo com Irmã Sonia, é prioritária para dar mais perspectivas de vida aos adolescentes que, muitas vezes, se veem obrigados a casar e iniciarem a vida adulta muito cedo por conta de a família não ter mais condições de sustentá-los. “Sabemos que o colégio não eliminará todos estes problemas, porém, será uma forma de combatê-los, será uma gota no mar das necessidades”, conclui Irmã Sônia.

Bruna Borges/Alfa Comunicação Empresarial

  • 5b8e1834a65369a0a74ff7e44d67ebcf
  • p17va2eitn47716q71ue3m5pbjj3