Geral

Golfinho é encontrado morto com calcinha presa às nadadeiras em SC

Tecido estava preso de forma profunda, a nível cutâneo e ósseo

Divulgação

Um golfinho foi encontrado morto com um calcinha presa às nadadeiras na praia do Pontal, em Itapoá, no Litoral Norte de SC. O resgate do animal foi feito pelo Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP/BS Univille) no último domingo (16), mas divulgado apenas nesta sexta-feira (21).

O animal era um boto-cinza (Sotalia guianensis) fêmea com cerca de 1,4 metro de comprimento e 32 quilos. A calcinha estava presa de forma profunda nas nadadeiras peitorias, a nível cutâneo e ósseo. Segundo a médica veterinária, Giulia Gaglianone, provavelmente o boto deve ter se “enroscado” no tecido quando ainda era mais jovem.

No entanto, conforme foi se desenvolvendo, o tecido cortou a pele. Ela foi crescendo aos poucos sobre a tira de pano e quando as bordas se tocaram iniciaram o processo de cicatrização, deixando as lesões abertas.

O boto-cinza também apresentou sinais de debilidade crônica, como magreza, pneumonia severa e grande quantidade de parasitas. Ainda tinha marcas causadas possivelmente por emalhe em rede de pesca.

A equipe do PMP/BS colheu amostras para análises complementares que poderão confirmar a causa da morte do animal.

Descarte incorreto do lixo

O Projeto de Monitoramente de Praias da Bacia de Santos chama a atenção para o risco ao meio ambiente do descarte incorreto de lixo e itens pessoais, como roupas, calçados, escovas de dente e outros utensílios.

Cerca de 170 mil toneladas de resíduos têxteis são gerados por ano no Brasil, de acordo com o PMP/BS. Dados do Sebrae apontam que 80% deste total vão parar em lixões e aterros sanitários.

O processo de decomposição de tecidos é lento e pode chegar à cententas de anos o caso de tecidos sintéticos como o poliéster. Outros naturais, como algodão, linho e seda podedm levar meses para se decompor.

Nos oceanos, os tecidos agem como “redes de pesca”, capturando incidentalmente, emalhando e matando diversas espécies marinhas.

Com informações do NSCTotal

Notícias Relacionadas

Fapesc investe R$ 1 milhão em novos estudos para produção de vinho e uva em SC

A produção de uvas e vinho abrange ainda uma área de cultivo de cerca de 6 mil hectares em diferentes regiões. Só de vinícolas, são 95 empresas registradas no Estado

Profissionais da Assistência Social passam por minicurso sobre abordagem antirracista em Criciúma

Palestra foi ministrada por três profissionais da área da Educação e Direito e ocorreu no Salão Ouro Negro

24 horas: Um sonho de 30 anos realizado em Cocal do Sul

A inauguração será neste domingo (26), às 18h, no dia do aniversário de 30 anos de Cocal do Sul

Edital Cultura Criciúma contemplará 30 projetos com R$ 133 mil

Inscrições podem ser feitas até o dia 22 de outubro. Objetivo é incentivar atividades culturais na cidade