Educação

Governo de SC apresenta proposta de reajuste da tabela do magistério e valoriza a qualificação

A proposta foi construída com a participação dos deputados que compõem a comissão mista da Assembleia Legislativa que trata da revisão salarial dos servidores públicos estaduais

Divulgação

O Governo do Estado apresentou na Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina (Alesc), nesta terça-feira, 19, o projeto de reajuste da tabela do magistério, valorizando a qualificação dos professores. Ao mesmo tempo, o Governo vai investir em bolsas de pós-graduação aos profissionais, garantindo a oportunidade para a progressão na carreira. A proposta beneficia mais de 77 mil servidores.

“Em 2022, vamos investir mais de R$ 1 bilhão na valorização dos professores, com a política de remuneração mínima e o reajuste da tabela do magistério. O reajuste da tabela se soma aos investimentos nas bolsas de pós-graduação, para que os professores se especializem e obtenham títulos de mestres e doutores. Assim asseguramos as condições para que os profissionais progridam na carreira, qualificando a educação catarinense como um todo”, afirmou o governador Carlos Moisés.

A proposta foi construída com a participação dos deputados que compõem a comissão mista da Assembleia Legislativa que trata da revisão salarial dos servidores públicos estaduais. O projeto apresentado garante um reajuste mínimo de 10% da tabela. Os reajustes mais significativos foram concedidos aos profissionais com mestrado e doutorado, que terão incrementos de 28,8% a 56,4%. A mudança se aplica também aos servidores inativos.

“A qualificação do professor é um benefício para os docentes, os alunos e toda a sociedade. É plantar uma semente pensando no futuro da educação catarinense. Por isso, estamos incentivando esse processo com a valorização financeira e com a criação de bolsas de especialização, mestrado e doutorado para os nossos professores”, destacou o secretário de Estado da Educação, Luiz Fernando Vampiro.

O reajuste beneficia 19.520 servidores ativos, 27.955 inativos e 30.208 admitidos em caráter temporário, totalizando 77.683. Com isso, o salário final da carreira de um professor doutor passa dos atuais R$ 7.084 para R$ 11.086, já a partir de janeiro de 2022, após a aprovação da proposta.

Oportunidades para a progressão na carreira

Na semana passada, o governador Carlos Moisés anunciou investimento de R$ 15,5 milhões para a qualificação dos profissionais da educação de Santa Catarina. A iniciativa inclui 1,1 mil bolsas de pós-graduação para professores, contemplando especialização, mestrado e doutorado. Considerando as bolsas de pós-graduação concedidas desde o início do ano, o investimento chega a R$ 28,6 milhões, com 1,8 mil beneficiados.

Na ocasião, o governador e o secretário Vampiro também anunciaram a criação de uma política de formação continuada em serviço para os professores catarinenses, que prevê um auxílio financeiro de R$ 40 por hora para participarem de formações. No caso de 20 horas, o valor pago aos profissionais pode chegar a R$ 800. O objetivo é criar uma política permanente de formação continuada, reunindo ações que atualmente são pontuais.

Fizeram a entrega do novo plano de carreira os secretários de Estado da Educação, Luiz Fernando Vampiro; da Casa Civil, Eron Giordani; e da Administração, Jorge Eduardo Tasca. Também participaram do ato os deputados estaduais Fabiano da Luz, José Milton Scheffer, Júlio Garcia, Luciane Carminatti, Marcos Vieira, Maurício Eskudlark, Mauro de Nadal, Moacir Sopelsa, Valdir Cobalchini, Vicente Caropreso e Volnei Weber.

Notícias Relacionadas

Jovem morre afogado após salvar criança e adolescente no rio em SC: “Herói”

Corpo de Eduardo Cordeiro foi encontrado na manhã deste domingo (5)

Criança de seis anos é resgatada após queda de dois metros, em Paulo Lopes

Aeronave transportou a vítima até o Hospital Infantil Joana de Gusmão, em Florianópolis

Defesa Civil de SC emite alerta para temporais neste domingo com vento forte e granizo

Dia de altas temperaturas pode ter registro de chuva intensa em um curto intervalo de tempo por todo o Estado, de acordo com a Epagri/Ciram

Beach clubs de Jurerê têm que demolir estruturas feitas após 2005, determina STF

Para o advogado, o STF não determina a demolição das estruturas, e afirma que elas podem ser "readequadas" a partir de requerimento