Geral

Governo de SC investe 17% do que deveria na manutenção de rodovias, aponta estudo

A informação do volume de recursos destinados para as SCs são do próprio governo do Estado

Divulgação

O governo de Santa Catarina investe cerca de 17,7% do que deveria em manutenção de rodovias estaduais, segundo um estudo da Federação das Indústrias de SC (Fiesc) divulgado nesta quarta-feira (7). A análise do consultor da Fiesc, Ricardo Saporiti, aponta que o Executivo estadual liquidou, em média, R$ 37,2 milhões/ano para este fim, quando o ideal seria R$ 210 milhões.

A informação do volume de recursos destinados para as SCs são do próprio governo do Estado. Já o montante considerado ideal é apontado por Saporiti como o mínimo necessário para a conservação das vias e representa 1% do patrimônio rodoviário de Santa Catarina, de R$ 21 bilhões.

Durante a apresentação, o diretor da Fiesc, Egídio Martorano, mostrou um panorama das rodovias estaduais do Oeste e da região do Contestado realizado por Saporiti. A maioria dos trechos está em estado ruim, com presença de buracos, rachaduras na pista, e desagregação do asfalto.

Segundo Martorano, “poucos trechos estão em condições razoáveis” e percebe-se uma “má qualidade da operação tapa-buraco”. A apresentação aponta que as intervenções estaduais têm sido paliativas e há necessidade de investimentos mais robustos.

Para o presidente da Fiesc, Mario Cezar de Aguiar, isso pode ser um indicativo de que o Estado está perdendo competitividade para atração de investimentos na comparação com outros estados. “Quando nós comparamos com os investimentos feitos no Paraná, Santa Catarina está perdendo. Talvez seja essa uma das razões para termos um custo logístico tão elevado”, disse.

Divulgação

Presente na apresentação, o secretário de Estado da Infraestrutura e Mobilidade, Thiago Vieira, disse que a maioria das rodovias analisadas estão com algum tipo de intervenção, mas que é necessário promover revitalização dos trechos, o que demanda elaboração de projetos.

O chefe da pasta também contestou os dados, afirmando que mais recursos foram destinados às SCs. Segundo ele, mais de R$ 200 milhões.

A liquidação de apenas R$ 37 milhões/ano apontada por Saporiti está de acordo com dados apurados pela Rede Catarinense de Notícias no início de junho, de R$ 93 milhões em dois anos e cinco meses. O valor foi indicado pela própria Secretaria.

O levantamento de informações para o estudo ocorreu entre maio e junho de 2021. Saporiti rodou mais de 1,2 mil km em 17 SCs. Apenas uma foi considerada em estado razoável.

Com informações da Rede Catarinense de Notícias

Notícias Relacionadas

SC é o quarto Estado que mais desmatou a Mata Atlântica entre 2019 e 2020, aponta estudo

O estudo é realizado desde 1989 pela Fundação SOS Mata Atlântica em parceria com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe)

Durante perseguição, dupla ameaça PM com arma de fogo em Orleans

Um homem fugiu com a arma de fogo e outro foi preso; no veículo, havia fezes de gado, cordas, facas e o banco do passageiro havia sido retirado.

Dez bombeiros atuam em combate a incêndio em estufa de São Martinho

A edificação é de 400m² e foram atingidos por volta de 100m²; os bombeiros utilizaram 18 mil litros de água para o combate.

Neve é registrada em Santa Catarina nesta quarta-feira

Flocos caíram em São Joaquim, Bom Jardim da Serra e Urupema, na Serra. Frio intenso deve continuar no estado nesta quinta, 29, e sexta, 30.