Geral

Greve dos químicos é suspensa

A decisão foi tomada em virtude de decisões judiciais que impedem a manifestação a menos de 200 metros de empresas onde a greve já estava instalada.

Greve dos químicos é suspensa

Foto: Divulgação

A greve dos trabalhadores das empresas da indústria químicas de Criciúma e região está suspensa. A decisão foi tomada na tarde desta quarta-feira (6), em virtude de decisões judiciais que impedem a manifestação a menos de 200 metros de empresas onde a greve já estava instalada.

Confira a nota oficial:

O Comando de Greve do Movimento Sindical e Social Regional Sul comunica que suspendeu nesta tarde de quarta-feira, 6, a greve nas empresas da indústria química de Criciúma e Região.

A decisão tomada em reunião do Comando e lideranças dos sindicatos e movimentos sociais envolvidos é embasada nas sentenças de interdito proibitório concedidas a empresas onde a greve estava instalada.

A assessoria jurídica do Comando entende que as sentenças prolatadas infringem a competência do Tribunal Regional do Trabalho, a quem cabe decidir em questões trabalhistas que envolvam direitos coletivos. Por isto, vai recorrer das decisões por meio de Mandado de Segurança.

O Comando ressalta que a suspensão do movimento de paralisação é temporário, enquanto aguarda-se novas manifestações judiciais sobre o legítimo e constitucional direito de greve da classe trabalhadora.

Resistir aos ataques aos direitos dos trabalhadores, mobilizar a classe trabalhadora e manter unido o Movimento Sindical e Social Regional continuam sendo nossas principais bandeiras.

Com informações do Portal DN Sul

Notícias Relacionadas

Funcionários de hospital de Nova Veneza entram em greve por pagamento de salários

Segundo sindicato, apenas atendimento de emergência é realizado. Hospital deve R$ 70 mil da folha de pagamento de junho, conforme entidade.

TST decide julgar dissídio da greve dos trabalhadores dos Correios

Julgamento ainda não tem data marcada pelo tribunal

Comerciários assinam Convenção Coletiva em Criciúma

Documento determina o reajuste salarial referente ao ano de 2017. O reajuste será de 4,22% e o piso salarial da categoria passa a ser R$ 1.270,00

Postos já registram falta de gasolina e diesel, em Orleans e Lauro Müller