Segurança

Homem de ‘alta periculosidade’ é preso no Beto Carrero após cerco policial

Suspeito tentou fugir no meio do tumulto do parque temático em Penha. Polícia Militar usou helicóptero para detê-lo.

Divulgação

Um homem foi preso enquanto visitava o parque Beto Carreiro, em Penha, no Vale do Itajaí, no final da tarde de domingo (10). Segundo a Polícia Militar (PM), o suspeito é considerado de “alta periculosidade” e era monitorado pela Agência de Inteligência da corporação. O tempo de acompanhamento não foi informado.

De acordo com a polícia, ele é vinculado a uma organização criminosa e tinha em aberto um mandado de prisão por porte ilegal de arma, além de responder por crimes de tentativa de homicídio e tráfico de drogas.

A PM informou que fazia o monitoramento do homem e, quando soube que ele iria ao parque no final de semana, montou uma operação para prendê-lo durante o passeio. Enquanto equipes de inteligência o observavam, policiais ostensivos se posicionavam em pontos estratégicos, para capturar o suspeito.

Agentes por terra e também de helicóptero participaram da ação.

Prisão

Segundo a PM, o homem aproveitou um momento de tumulto de visitantes, no final da tarde, para tentar fugir pelo matagal. Ele chegou a pular no lago para tentar acessar a parte externa do parque, onde foi detido e posteriormente conduzido ao Complexo Penitenciário da Canhanduba, em Itajaí, onde ficará à disposição da Justiça.

Com informações do G1 SC

Notícias Relacionadas

Mulher é atingida com tijolada na cabeça por marido bêbado em SC

Vítima foi parar no hospital e precisou de pontos cirúrgicos na cabeça. Agressor foi preso em flagrante

Prazo para aderir ao Relp termina dia 31, alerta Receita Federal

Pagamento pode ser feito em até 180 vezes

Homem em situação de rua é agredido com pedras por duas pessoas em SC, diz PM

Agressões só pararam quando um motorista que passava pelo centro começou a buzinar. Ninguém foi preso.

Soldado russo julgado na Ucrânia é condenado à prisão perpétua

Vadim Shishimarin, de 21 anos, admitiu em julgamento que matou um civil de 62 anos em meio à invasão russa no nordeste ucraniano