Geral

Homem é condenado pelo homicídio de ex-cunhado no primeiro júri do ano em Criciúma

Segundo a denúncia, o crime aconteceu na madrugada de 1º de janeiro de 2019, no bairro Bosque do Repouso, cidade-sede da comarca

Divulgação

Um homem de 32 anos foi condenado, em sessão do Tribunal do Júri da comarca de Criciúma promovida nesta quinta-feira (20/1), a 13 anos e oito meses de reclusão por homicídio qualificado. A primeira sessão do Tribunal do Júri de 2022 foi presidida pelo juiz substituto Guilherme Costa Cesconetto e aconteceu respeitando todas as medidas de saúde e segurança necessárias em razão da pandemia de Covid-19.

Segundo a denúncia, o crime aconteceu na madrugada de 1º de janeiro de 2019, no bairro Bosque do Repouso, cidade-sede da comarca. O réu teria chegado na residência da vítima alterado e passou a discutir com sua ex-companheira, mas foi advertido para que resolvessem suas questões, pois o ex-cunhado não queria se envolver no desentendimento do casal. O denunciado, acreditando que a vítima defendia e acobertava a irmã, desferiu uma facada no ombro, cuja lesão acarretou a sua morte.

O homem foi condenado por homicídio qualificado pelo motivo fútil, a 13 anos e oito meses de reclusão, em regime inicial fechado. O Conselho de Sentença rejeitou a qualificadora do recurso que dificultou a defesa da vítima. O réu teve negado o direito de recorrer em liberdade. Cabe recurso da decisão ao TJSC. (Autos n. 0000003-85.2019.8.24.0020)

Notícias Relacionadas

Empresa é condenada a pagar R$ 50 mil de indenização por danos morais

A decisão foi expedida pela 2ª Vara da Fazenda Pública da Comarca de Criciúma

Vizinho e mulher são presos por estuprar menina de 7 anos em SC

Polícia Civil diz que exame realizado na criança confirma violência sexual; homem de 53 anos é vizinho da vítima

SC investiga dois casos suspeitos de varíola dos macacos; veja o que se sabe

Investigação é realizada pelo Lacen (Laboratório Central de Santa Catarina); até o momento, são 37 casos registrados no país

Briga entre policiais em saída de balada termina em agressão e tentativa de calar vítima em SC

Um dia após as agressões, policial militar teria tentado "calar" vítima oferendo R$ 20 mil para evitar exame de corpo de delito, afirma homem em depoimento