Segurança

Homem é preso por compartilhamento de pornografia infantil em Criciúma

A prisão ocorreu na manhã desta terça-feira (18) comandada pela Polícia Federal

Foto: Divulgação

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira (18), operação destinada à repressão ao compartilhamento e à posse de imagens e vídeos com conteúdo de abuso sexual infanto-juvenil. O crime era praticado por um usuário da internet residente em Criciúma.

As investigações foram iniciadas a partir de relatórios e informação produzidos pela Polícia Federal, que resultaram na identificação de um usuário que baixou e compartilhou dezenas de arquivos contendo imagens e vídeos de cunho pornográfico infantil.

O suspeito de 29 anos, que utilizava softwares para compartilhamento dos arquivos com usuários do mundo todo, foi preso em flagrante durante o cumprimento de mandado judicial de busca e apreensão, assim como foi realizada a arrecadação e a apreensão de equipamentos de informática.

O crime de compartilhamento de arquivos de pornografia infantil, previsto no artigo 241-A do Estatuto da Criança e do Adolescente, é punido com pena de reclusão de 3 a 6 anos. Já o crime de posse de arquivos de pornografia infantil, tipificado no artigo 241-B do mesmo estatuto, é punido com pena de reclusão de 1 a 4 anos.

Colaboração Comunicação da Delegacia de Polícia Federal em Criciúma

Notícias Relacionadas

Tribunal de Justiça catarinense confirma pena para empresário que vendeu pipoca com rato dentro em Criciúma

Uma das vítimas, após ingerir a pipoca, teve intoxicação alimentar aguda causada por alimento contaminado.

Morador é executado com cinco tiros em Criciúma

Segundo informações, a vítima saiu recentemente do presídio e possui passagens por pedofilia e estupro de vulnerável.

Tribunal de Justiça nega liberdade para homem acusado de usar até boneca vodu para aterrorizar sua ex

O homem desrespeitou as medidas protetivas concedidas anteriormente em favor da ex-companheira

Por chineladas em criança de quatro anos, Tribunal de Justiça mantém condenação de padrasto em Criciúma

A criança possuía várias marcas pelo corpo, em regiões das pernas, costas e nádegas.