Segurança

Homem invade casa de vizinho, é amarrado e acaba preso em SC

No local da briga, polícia descobriu que agressor tinha mandado de prisão ativo

Divulgação

Uma briga entre vizinhos em Canoinhas, no Planalto Norte, acabou com um homem amarrado e preso na noite de terça-feira (16). De acordo com a polícia, ele teria invadido a casa ao lado e ameaçado uma vítima. Quando os policiais chegaram ao local, descobriram que o agressor tinha um mandado de prisão ativo.

A PM foi acionada por volta das 23h para a localidade de Rio dos Pardos após relatos de uma briga. O dono da casa contou à polícia que o homem teria entrado na residência e ameaçado a ele e sua família.

Em determinado momento da discussão, o agressor tentou golpear a vítima com uma faca de cozinha, mas foi desarmado. Em seguida, o dono da casa ainda amarrou o homem com uma corda, até a chegada dos policiais.

De acordo com a polícia, os homens trabalhavam juntos em uma colheita de fumo e respousavam em casas vizinhas pouco antes da discussão iniciar.

Em consulta ao sistema da polícia, a guarnição descobriu que o agressor já tinha um mandado ativo de prisão. O crime que motivou o pedido de prisão, no entanto, não foi informado. Após o registro do boletim de ocorrência, o homem foi levado à Unidade Prisional Avançada de Canoinhas.

Com informações do NSCTotal

Notícias Relacionadas

Jovem morre afogado após salvar criança e adolescente no rio em SC: “Herói”

Corpo de Eduardo Cordeiro foi encontrado na manhã deste domingo (5)

Criança de seis anos é resgatada após queda de dois metros, em Paulo Lopes

Aeronave transportou a vítima até o Hospital Infantil Joana de Gusmão, em Florianópolis

Defesa Civil de SC emite alerta para temporais neste domingo com vento forte e granizo

Dia de altas temperaturas pode ter registro de chuva intensa em um curto intervalo de tempo por todo o Estado, de acordo com a Epagri/Ciram

Beach clubs de Jurerê têm que demolir estruturas feitas após 2005, determina STF

Para o advogado, o STF não determina a demolição das estruturas, e afirma que elas podem ser "readequadas" a partir de requerimento