Geral

Homem que esfaqueou e jogou óleo fervente em ex-companheiro é condenado em Criciúma

Homem foi condenado a 12 anos de prisão e não poderá recorrer da decisão em liberdade.

Divulgação

Um homem foi condenado por tentativa de homicídio triplamente qualificado contra o ex-companheiro em júri realizado nesta quinta-feira (15) em Criciúma. A pena prevista é de 12 anos e cinco meses de prisão em regime fechado.

Segundo a denúncia do Ministério Público (MP), o homem teria entrado no quarto em que o ex-companheiro dormia e despejado uma panela com água e óleo fervente nele. A vítima conseguiu fugir e buscar ajuda com um colega de trabalho a duas quadras do local do crime.

Após isso, ele ainda foi atrás de carro do ex-companheiro e desferiu 12 facadas nele. A vítima sobreviveu devido a intervenção de vizinhos. A motivação do crime foi que o homem não aceitava o fim do relacionamento. Além de ciúmes. O crime ocorreu em outubro de 2018 no bairro Vila Zuleima em Criciúma.

O Conselho de Sentença reconheceu que o crime foi praticado por motivo fútil e meio cruel, pela vítima ter sido atingida por líquido efervescente no rosto e tronco e posteriormente esfaqueada em diversas partes do corpo e recurso que impossibilitou a defesa, já que ele dormia no momento em que foi atacado.

Preso desde fevereiro de 2019, o homem não poderá recorrer em liberdade. O processo tramitou em segredo de justiça. Cabe recurso da decisão ao Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJ-SC).

Com informações do site ND Mais

Notícias Relacionadas

Homem é assassinado e duas mulheres feitas de refém em Gravatal

Ocorrência foi registrada por volta das 11h20 pela Polícia Militar. Dois suspeitos foram presos.

Tribunal de Justiça nega liberdade para homem acusado de usar até boneca vodu para aterrorizar sua ex

O homem desrespeitou as medidas protetivas concedidas anteriormente em favor da ex-companheira

Pedreiro de cemitério condenado por enriquecimento ilícito e venda casada de serviços em Urussanga

Os fatos aconteceram entre 2010 e 2012, quando o homem era responsável pela gestão do Cemitério Municipal de Urussanga

Motorista que passeava por Garopaba com CNH falsa é condenado a 3,6 anos de reclusão

O documento tinha a foto dele, mas o nome era de outra pessoa. Na delegacia, os policiais descobriram a verdadeira identidade do réu e constataram que havia contra ele um mandado de prisão em aberto, por roubo tentado.