Segurança

Homem que usou disfarce para tentar matar ex-namorada em Criciúma é condenado

Ele deverá cumprir pena de oito anos em regime fechado

Foto: Divulgação

O Tribunal do Júri da comarca de Criciúma condenou um homem de 49 anos por tentativa de homicídio qualificado no Sul catarinense. A pena decretada foi de oito anos. Cabe recursão à decisão.

Segundo os autos, o crime aconteceu em março de 2021, em uma loja localizada dentro de um supermercado no centro de Criciúma. Na época, o caso ganhou repercussão no Estado, principalmente pelo modo de atuação do condenado.

Conforme as autoridades, o acusado trajava túnica, óculos escuros e máscara para dificultar sua identificação, e ingressou no estabelecimento de sua ex-namorada armado com uma faca, com a qual tentou golpeá-la diversas vezes.

Contudo, a vítima conseguiu desviar das investidas e segurar a faca. Outras pessoas que estavam no local intervieram e impediram que o crime fosse consumado.

O Conselho de Sentença reconheceu que o crime foi praticado em razão da condição do sexo feminino, e o homem condenado por tentativa de feminicídio à pena de oito anos e dois meses de reclusão, em regime inicial fechado.

A sessão ocorreu na última quinta-feira (5) e foi presidida pela juíza substituta Keila Lacerda de Oliveira Magalhães Garcia.

Notícias Relacionadas

Motorista que passeava por Garopaba com CNH falsa é condenado a 3,6 anos de reclusão

O documento tinha a foto dele, mas o nome era de outra pessoa. Na delegacia, os policiais descobriram a verdadeira identidade do réu e constataram que havia contra ele um mandado de prisão em aberto, por roubo tentado.

Homem que tentou matar a ex com golpes de machadinho enfrentará júri popular em Içara

O crime ocorreu no dia 6 de setembro de 2018, por volta das 17h, em Içara.

Autor de roubo e extorsão contra duas mulheres é condenado a 10 anos de reclusão em Criciúma

O crime ocorreu em agosto de 2019, quando as vítimas foram rendidas pelo autor.

Pedreiro de cemitério condenado por enriquecimento ilícito e venda casada de serviços em Urussanga

Os fatos aconteceram entre 2010 e 2012, quando o homem era responsável pela gestão do Cemitério Municipal de Urussanga