Saúde

Hospital São Marcos, de Nova Veneza, aguarda novo administrador

Após a saída do Isev, instituição hospitalar aguarda que uma nova empresa possa assumir os serviços, que não estão sendo realizados desde a última quinta-feira.

Hospital São Marcos Nova Veneza

Foto: Divulgação

O problema da falta de recursos continua fazendo vítimas na região. Além dos inúmeros problemas na saúde pública já registrados em cidades como Araranguá, Criciúma e Sombrio, o Hospital São Marcos, de Nova Veneza, voltou a ser notícia mais uma vez.

Não por um novo atendimento ou por um novo equipamento, o motivo do destaque é, mais uma vez, o problema no repasse dos salários. Situação que os 57 colaboradores que atuavam no local não suportavam mais e, desde a última quinta-feira (9), todos foram demitidos e o Instituto Saúde, Educação e Vida – Isev acabou deixando o hospital. A esperança dos moradores da cidade e de localidades vizinhas é que um novo administrador seja contratado.

Desde o fechamento da unidade, na data das demissões, o hospital está fechado, não recebendo nenhum atendimento. Quem necessita atendimento, terá que recorrer à unidades básicas de saúde. Em casos mais graves, devem procurar atendimento no Hospital São Donato, de Içara, ou no Hospital Regional de Araranguá.

De acordo com a vice-presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Saúde de Criciúma e Região – Sindisaúde, Zenair Cauduro, não há nenhuma previsão de pagamento de salários por parte do Isev. “Estamos trabalhando nas rescisões dos trabalhadores, o Isev sabe da dívida, mas não apareceu nenhum recurso”, falou, afirmando que a homologação das demissões deverá acontecer na sede do sindicato na quarta-feira.

Nesta segunda-feira, o prefeito de Nova Veneza, Rogério Frigo, irá se reunir com uma empresa de Araranguá interessada em assumir o São Marcos para avaliar a situação. Já na quarta-feira, uma audiência pública será realizada para apresentar dados sobre o hospital para a comunidade.

Falta de pagamento em Criciúma e Sombrio

Não é exclusividade do Hospital São Marcos a falta de pagamento dos salários. Em Criciúma, a Casa de Saúde do Rio Maina está com 20% da folha de pagamento em atraso. Outro problema que está acontecendo está no Hospital Dom Joaquim, de Sombrio. Após uma paralisação nas últimas semanas, os funcionários aguardam até dia 21 para que o restante do salário seja pago.

Caso o prazo não seja cumprido, uma nova paralisação deverá ser realizada.

Notícias Relacionadas

Reunião entre Isev e Sindisaúde termina sem definição quanto à rescisão do contrato dos trabalhadores

Funcionários do Hospital Regional de Araranguá estão em estado de greve

Consórcio Intermunicipal de Saúde-Amesc assumirá gestão do Hospital São Marcos

Os 15 prefeitos da Amesc autorizaram, durante reunião, a assinatura do convênio entre o Consórcio Intermunicipal de Saúde e Nova Veneza.

No escuro, Hospital São Marcos aguarda solução

Fechado há quase um mês, hospital depende de burocracia para voltar a funcionar.