Segurança

Identificada vítima de homicídio em Imbituba

A Polícia Civil já ouviu algumas testemunhas e trabalha na identificação do autor do crime

Foto: Divulgação

Olindina Francisco, de 57 anos, conhecida por dona Neném, foi assassinada em sua casa, na rua Novo Horizonte, no bairro Nova Brasília, em Imbituba, com uma arma branca, provavelmente uma faca. Teve vários ferimentos (perfurações) no peito. A vítima era moradora do bairro citado. Foi o segundo homicídio registrado nesta sexta-feira (16) na Amurel.

Pela manhã, o adolescente Gabriel de Oliveira da Silva, 16, foi morto com três tiros, dois na cabeça, por volta das 6h30, no bairro Malvina, em Laguna.

De acordo com o delegado Raphael Rampinelli, da Polícia Civil de Imbituba, o crime ocorreu no fim da tarde desta sexta, por volta das 17h45. Existe a chance de latrocínio (roubo seguido de morte).

Com este caso, o número de homicídios na região chega a dez na Amurel em 2018. Com isso, o índice de assassinatos é de um a cada 4,5 dias.

As outras vítimas de homicídio na Amurel neste ano são: Danilo Warmeling, conhecido por ‘Perigoso’, de 72 anos, morto na sua residência, onde morava sozinho, no bairro Nossa Senhora Aparecida, em São Ludgero. O idoso estava em um quarto, deitado na cama. O corpo foi encontrado nesta quarta-feira (14); Alexandre Benoni da Costa, 21, foi assassinado com quatro tiros nesta terça-feira (13). O crime ocorreu na Estrada Geral de Ibiraquera, acesso a Araçatuba, em Imbituba.

O primeiro homicídio na Amurel em 2018 ocorreu no dia 6 de janeiro. Luan Bernardo Pereira, 27, natural de Criciúma, foi morto por volta de 8h, em Jaguaruna. Ele foi assassinado com um golpe de faca que acertou o lado esquerdo de seu pescoço, em frente à sua residência, no bairro Torneiro, no limite de Jaguaruna com Içara. A Polícia Civil da Cidade das Praias ainda não prendeu nenhum suspeito. A autoria e a motivação do crime ainda são desconhecidas; No último dia 18 foi registrado o segundo caso, quando foi encontrado um corpo em um rio entre as comunidades de Campos Verdes e Madre, em Laguna. Tratava-se de Deivid Plácido Cabral, 26, de Tubarão, que estava desaparecido desde o dia 12 de janeiro. Ele foi morto a facadas, amarrado, teve o pescoço cortado e foi atirado no rio com uma mochila presa às costas; Cinco dias depois, Kelvin Farias da Silva, 24 anos, foi alvejado com quatro tiros, dois deles na cabeça, por volta das 22h do dia 23. O crime ocorreu no bairro Alvorada, em Capivari de Baixo, logo após a vítima ter saído do trabalho. Kelvin estava de bicicleta , quando dois homens em uma moto aproximaram-se, efetuaram os disparos e fugiram do local. Na ocasião, ele foi atendido pelo Corpo de Bombeiros e chegou a ser encaminhado em estado grave ao Hospital Nossa Senhora da Conceição, em Tubarão.

Já no último dia 26, Maria Helena Martins, a Lena, 50, foi morta pelo companheiro, que já está preso. O corpo da mulher foi encontrado por vizinhos e já estava em avançado estado de decomposição; Na sexta-feira de Carnaval, um adolescente de 17 anos foi morto com tiros na cabeça durante evento em Laguna. O crime ocorreu por volta da 2h30, no bairro Magalhães. A guarnição da Polícia Militar chegou ao local e providenciou o deslocamento da vítima pelo Samu para o Hospital de Caridade Bom Jesus dos Passos, no Centro Histórico, aonde o rapaz veio a óbito.

Com informações do site Notisul

Notícias Relacionadas

Polícia Civil cumpre mandados contra suspeitos de latrocínio em Sombrio

Mulher encontrada morta em Balneário Arroio do Silva é identificada

Moradora é morta a facadas e R$ 5 mil são roubados, em Forquilhinha

Corpo de homem é encontrado parcialmente carbonizado, em Criciúma