Geral

Indústria catarinense cresce 36,5% em março, maior alta do país

Além disso, o desempenho representa mais do que o triplo do avanço do país (11,9%). Os dados são da Pesquisa Industrial Mensal (PIM), divulgada nesta terça-feira, 11.

Divulgação

A produção industrial catarinense fechou março com um acréscimo de 36,5% em relação ao mesmo período de 2020. O resultado desponta como a maior alta entre os 14 locais pesquisados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), seguido por Espírito Santo (28,1%), Amazonas (23,8%) e Rio Grande do Sul (21%). Além disso, o desempenho representa mais do que o triplo do avanço do país (11,9%). Os dados são da Pesquisa Industrial Mensal (PIM), divulgada nesta terça-feira, 11.

“Esse é mais um resultado que mostra a força da nossa indústria e dos trabalhadores catarinenses. As atividades deste segmento não pararam neste último ano, mas sempre com respeito aos protocolos sanitários. De forma inovadora e com muito trabalho, a indústria catarinense conseguiu avançar mesmo em um período de desafios”, destaca o governador Carlos Moisés.

Os setores da indústria que mais se destacaram no Estado foram na fabricação: máquinas e equipamentos (127,8%); metalurgia (67,3%); veículos automotores, reboques e carrocerias (66,9%); confecção de artigos do vestuário e acessórios (66,1%); produtos têxteis (53,0%); máquinas, aparelhos e materiais elétricos (45,7%); produtos de borracha e de material plástico (42,0%); produtos de madeira (31,5%), e produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos (30,2%).

“Os números da produção industrial de Santa Catarina em março demonstram a força catarinense nesta retomada. Os números também explicam a geração de mais empregos no setor e fortalecem a economia do Estado. De acordo com os dados do Ministério da Economia, a indústria gerou mais de 9 mil novas vagas, o que contribui para as mais de 20 mil vagas no mês”, reforça o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Luciano Buligon.

Na comparação entre o primeiro trimestre de 2020 e deste ano, o destaque também ficou com Santa Catarina, acelerando de 9,2% para 17,8%. A alta foi maior que a média nacional, 5,2%.

“Com o resultado de março, a indústria de transformação de Santa Catarina avançou três postos no ranking dos 14 Estados pesquisados, que são os mais industrializados do país, passando do sexto posto em fevereiro, para o terceiro de maior crescimento na perspectiva anual. Com a alta de 0,9%, segue superada apenas por Pernambuco (3,4%) e Goiás (1%)”, acrescenta o economista da SDE, Paulo Zoldan.

Empregos

O setor industrial catarinense, além de continuar avançando, registrou saldo positivo nos empregos em março de 2021. De acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia, foram criados 8.832 postos formais de trabalho na indústria de transformação neste período, o segundo maior resultado gerado pelos grupos de atividade econômica. Esse resultado foi fundamental para o desempenho estadual de 20.729 novas vagas. O país registrou a abertura de 39.547 oportunidades no mesmo período.

 

Notícias Relacionadas

Refis 2021: contribuintes já podem solicitar renegociação

Os descontos de juros e multas são de 100% para pagamento em até três parcelas.

Homem sofre choque elétrico após encostar barra de alumínio em rede de alta tensão em Içara

Ele estava sobre o telhado da edificação comercial durante o acidente de trabalho e sofreu queimaduras elétricas de 3° grau.

Brasil permanece na vice-liderança do ranking de seleções da Fifa

Bélgica continua líder e Inglaterra assume a terceira posição

São Ludgero compra nova ambulância com destinação de emenda parlamentar do deputado Júlio Garcia

O investimento total foi de R$ 179.000,00