Geral

Indústria catarinense cresce 36,5% em março, maior alta do país

Além disso, o desempenho representa mais do que o triplo do avanço do país (11,9%). Os dados são da Pesquisa Industrial Mensal (PIM), divulgada nesta terça-feira, 11.

Divulgação

A produção industrial catarinense fechou março com um acréscimo de 36,5% em relação ao mesmo período de 2020. O resultado desponta como a maior alta entre os 14 locais pesquisados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), seguido por Espírito Santo (28,1%), Amazonas (23,8%) e Rio Grande do Sul (21%). Além disso, o desempenho representa mais do que o triplo do avanço do país (11,9%). Os dados são da Pesquisa Industrial Mensal (PIM), divulgada nesta terça-feira, 11.

“Esse é mais um resultado que mostra a força da nossa indústria e dos trabalhadores catarinenses. As atividades deste segmento não pararam neste último ano, mas sempre com respeito aos protocolos sanitários. De forma inovadora e com muito trabalho, a indústria catarinense conseguiu avançar mesmo em um período de desafios”, destaca o governador Carlos Moisés.

Os setores da indústria que mais se destacaram no Estado foram na fabricação: máquinas e equipamentos (127,8%); metalurgia (67,3%); veículos automotores, reboques e carrocerias (66,9%); confecção de artigos do vestuário e acessórios (66,1%); produtos têxteis (53,0%); máquinas, aparelhos e materiais elétricos (45,7%); produtos de borracha e de material plástico (42,0%); produtos de madeira (31,5%), e produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos (30,2%).

“Os números da produção industrial de Santa Catarina em março demonstram a força catarinense nesta retomada. Os números também explicam a geração de mais empregos no setor e fortalecem a economia do Estado. De acordo com os dados do Ministério da Economia, a indústria gerou mais de 9 mil novas vagas, o que contribui para as mais de 20 mil vagas no mês”, reforça o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Luciano Buligon.

Na comparação entre o primeiro trimestre de 2020 e deste ano, o destaque também ficou com Santa Catarina, acelerando de 9,2% para 17,8%. A alta foi maior que a média nacional, 5,2%.

“Com o resultado de março, a indústria de transformação de Santa Catarina avançou três postos no ranking dos 14 Estados pesquisados, que são os mais industrializados do país, passando do sexto posto em fevereiro, para o terceiro de maior crescimento na perspectiva anual. Com a alta de 0,9%, segue superada apenas por Pernambuco (3,4%) e Goiás (1%)”, acrescenta o economista da SDE, Paulo Zoldan.

Empregos

O setor industrial catarinense, além de continuar avançando, registrou saldo positivo nos empregos em março de 2021. De acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia, foram criados 8.832 postos formais de trabalho na indústria de transformação neste período, o segundo maior resultado gerado pelos grupos de atividade econômica. Esse resultado foi fundamental para o desempenho estadual de 20.729 novas vagas. O país registrou a abertura de 39.547 oportunidades no mesmo período.

 

Notícias Relacionadas

Mulher é arremessada de carro em movimento após tentativa de estupro

A ocorrência foi registrada na manhã deste domingo (14) em Criciúma

Previsão indica novo ciclone e frio intenso na próxima semana; Dia dos Pais segue com sol na maior parte dos municípios

Meteorologista garante que novo ciclone ficará em segundo plano, mas que vai ajudar na manutenção do frio rigoroso

Mulher chama PM por denúncia de assédio em praça de Orleans

Acusado foi localizado, mas negou sequer conhecer a vítima. Ambos foram encaminhados à Central de Flagrantes de Criciúma

Oito apostas de SC levam a quina da Mega-Sena; veja de onde são os sortudos

Um jogo de sete números levou a bolada de R$ 29.636,36. Já os outros sete apostadores faturaram R$ 14.818,18 cada