Geral

Jaguaruna decreta calamidade pública após estragos causados por chuva

Município registrou enxurradas, alagamentos e erosão da margem fluvial. Fenômeno ocorreu na sexta-feira.

Reprodução/NSC TV

A Prefeitura de Jaguaruna, no Sul do estado, decretou situação de calamidade pública por causa dos estragos causados pela chuva na sexta-feira (24). O município registrou enxurradas, alagamentos e erosão da margem do rio.

O decreto foi assinado no final da noite de sexta e divulgado no domingo (26). A medida permite que gestores dispensem licitações para serviços ou obras relacionados à contenção do desastre. As aulas da rede municipal foram suspensas.

O principal acesso até o Centro pela SC-442 segue interditado. A ponte que liga o trecho foi bloqueada depois que o Rio Tubarão transbordou e destruiu as cabeceiras.

A prefeitura não tem previsão de quando a ponte será liberada para o tráfego e para a passagem de pedestre. O caminho alternativo pode ser feito pelos bairros Morro Azul e Retiro. Mas, a opção é proibida para caminhões e outros veículos pesados. Outras opções são via balsa de Laguna, SC-100, ou pelo Aeroporto de Jaguaruna.

As chuvas também trouxeram problemas para os bombeiros. O prédio da corporação foi interditado depois que uma cratera com mais de 5 metros de profundidade surgiu no terreno. A sede nova, ainda em obras, está sendo utilizada de forma provisória pela corporação.

Com informações do site G1/SC

Notícias Relacionadas

Decreto suspende pedidos de gratificação em Criciúma e indícios de fraudes são investigados

Assinado decreto que regulamenta o trânsito de veículos na Orla do Município de Balneário Rincão

O decreto permite a circulação e o estacionamento de veículos automotores em espaço determinado na orla marítima do município durante a safra da tainha.

Centro Educacional Meta não será afetado com decreto de desapropriação de área de seminário em Orleans

De acordo com diretora da instituição educacional, a unidade continua em funcionamento no espaço conforme contrato com o Instituto Leonardo Murialdo

“Estamos sendo tocados como cachorros perigosos”, diz padre sobre decreto de desapropriação emitido pela prefeitura de Orleans

Jorge Koch declara área de 34 hectares de utilidade pública. Josefinos não aceitam "que poder público se aproprie" de patrimônio