Geral

Jornalismo UniSatc resgata memórias e traz reflexões atuais em documentários

Produções audiovisuais foram desenvolvidas à distância por acadêmicos da 6ª fase

Divulgação

Para quem estuda Jornalismo na UniSatc, um dos maiores desafios do 6º semestre é a produção dos documentários audiovisuais. Em 2020, por conta da pandemia, o desafio foi ainda maior. Pela primeira vez na história do curso, as produções foram realizadas de forma remota. Entretanto, mesmo à distância, o resultado foram verdadeiras obras de arte com lembranças de um passado distante e também reflexões sobre o momento atual.

Os documentários foram realizados na disciplina de Produção Audiovisual. Segundo o professor Elton Gonçalves, o grande desafio foi não deixar que o distanciamento prejudicasse o desenvolvimento dos trabalhos. “Diante dessa nova realidade, nossos acadêmicos foram incansáveis e provaram que mesmo que seja difícil produzir em um momento de pandemia, não é impossível e o resultado é ainda mais gratificante”, ressalta.

O documentário é um jeito diferente de comunicar no Jornalismo e se distingue da reportagem, pois permite ser mais artístico e lúdico, conforme o professor. “O objetivo é fazer com que os alunos descubram formas de emocionar e, não diferente dos outros anos, eles conseguiram alcançar esse resultado com êxito”, afirma. Foram produzidos sete documentários no segundo semestre de 2020.

Os acadêmicos, normalmente, escolhem os temas por afinidade, mas também há casos onde ocorre a oportunidade. “Em um dos documentários, a ideia do tema surgiu após os alunos lerem sobre o tema em um post no Instagram. Eles tiveram curiosidade, fizeram as pesquisas e o resultado foi fantástico”, cita Gonçalves.

Já no caso do documentário ‘A sós, e só!’ o tema foi motivado pelo momento de pandemia. “Nossa intenção era abordar algo atual. Pensamos em coronavírus, isolamento, e chegamos à solidão”, conta a acadêmica Letícia Ortolan, que produziu o documentário junto com os colegas Larissa Witt e Richard Vieira.

Produções ricas em imagens e cheias de emoção

As produções deste ano se destacam por serem ricas em imagens e trazerem histórias que emocionam. O grupo da Letícia conseguiu este resultado por pensar, desde o início, em todos os detalhes. “No pré-roteiro já tínhamos tudo definido, ângulos, imagens, perguntas, até a cor da roupa da protagonista que ficaria melhor para ela usar. Tanto que dentro de um dia, conseguimos gravar tudo”, pontua a acadêmica.

Para a coordenadora de Jornalismo da UniSatc, Kaki Farias, a produção de conteúdos de qualidade mostra que o processo de ensino e aprendizagem do curso não foi afetado pelo período pandêmico. “Nossos alunos mostraram que é possível superar obstáculos e criar muita coisa boa em audiovisual. O resultado foram estes documentários riquíssimos em imagens, edição e informação”, enaltece.

Todos os documentários estão disponíveis ao público no canal do Youtube do Jornalismo UniSatc (acesse aqui).

Notícias Relacionadas

PM realiza apreensão de entorpecentes e apetrechos para confecção de drogas em residência de Criciúma

No imóvel, 28 gramas de maconha, 518 gramas de cocaína e uma prensa para transformar o entorpecente foram localizadas; uma mulher foi presa.

Material de pornografia infantil é apreendido em Imbituba

Na casa de um homem, de 46 anos, foram encontrados de dois discos rígidos e um celular, equipamento provavelmente utilizado nas condutas criminosas.

Residência é destruída por incêndio em Cocal do Sul

A residência, de aproximadamente 70 m², foi destruída e o trator, que estava ao lado do imóvel e encontrava-se parcialmente queimado, foi resguardado.

Com dívidas de R$ 30 mil, ONG Amigo Fiel solicita apoio em Forquilhinha

Mais de 1,3 mil animais já foram resgatados, tratados, castrados e encaminhados para adoção.