Geral

Justiça de Imbituba determina fechamento de casa noturna irregular em Ibiraquera

Em março de 2021, na empresa ré, foi constatado pela Vigilância Sanitária o descumprimento de medidas sanitárias contra a COVID-19 e o funcionamento além do horário permitido

Divulgação

O juiz Welton Rubenich, titular da 2ª Vara da comarca de Imbituba, deferiu pedido de liminar impetrado pelo município-sede da comarca, para determinar a suspensão das atividades de um estabelecimento, localizado no bairro Ibiraquera, que estava funcionando sem alvará como danceteria. O município recebeu, por meio do Conselho Comunitário de Ibiraquera, relato da proliferação de casas noturnas irregulares, incluindo a ré, e do uso desvirtuado de alvarás de bares e restaurantes na região, gerando aglomeração e perturbação de sossego.

Em março de 2021, na empresa ré, foi constatado pela Vigilância Sanitária o descumprimento de medidas sanitárias contra a COVID-19 e o funcionamento além do horário permitido. Além disso, imagens e vídeos apresentados demonstraram que o estabelecimento em questão funciona sem alvará, diante do indeferimento do pedido formulado, e vem exercendo atividade de danceteria, não permitida para o zoneamento local. Sem qualquer autorização do ente público e a despeito da advertência e do auto de intimação lavrados a empresa ré continuou exercendo suas atividades. Segundo a decisão, fotografias e boletins de ocorrência permitem concluir que há dispersão de barulho excessivo, diante das apresentações musicais ocorridas na área externa do local, sem isolamento acústico, e das festas realizadas em seu interior.

O juízo deferiu a tutela de urgência pleiteada pelo município de Imbituba e determinou a imediata paralisação das atividades do estabelecimento e a colocação, no prazo de quinze dias, de placa no local anunciando que se trata de estabelecimento irregular, por ausência de alvará, que a área é objeto de Ação Civil Pública promovida pela Prefeitura Municipal de Imbituba e o número do processo, voltada para a via de acesso. Em caso de descumprimento da decisão, a multa diária foi fixada em R$ 10 mil, até o limite de R$ 100 mil. Cabe recurso da decisão ao TJSC. (ACP 5005794-46.2021.8.24.0030​).​​​​​

Notícias Relacionadas

Fecam leva mais dois casos de suposta falsidade ideológica para Ministério Público

Prefeitos Antônio Ceron (PSD), de Lages, e João Cidinei Da Silva (PL), de Anita Garibaldi, foram colocados na nominata da chapa 3, encabeçada pelo prefeito de São João do Itaperiú, Clézio Fortunato

Presidente do Legislativo de Jaraguá do Sul visita Câmara de Criciúma

Jair Pedri (PSD) esteve na cidade na manhã desta quinta-feira, 27

Bebê de 7 meses morre por complicações da Covid-19 em SC

A criança possuía comorbidades e estava internada no hospital

Ventos e descargas elétricas deixam 50 mil famílias sem energia no Norte de SC

Foram afetadas cidades como Araquari, Balneário Barra do Sul e São Francisco do Sul