Segurança

Justiça mantém prisão de homem que agrediu mulher com chicote em SC

Juiz proibiu o homem de se aproximar da vítima caso seja solto e também não pode fazer contato com a família dela

Giroflex PM foto noturna

Divulgaçãoirof

A Justiça converteu em prisão prevetiva o flagrante do homem que bateu na companheira com um chicote na manhã deste domingo (19) em Apiúna, no Vale do Itajaí. A juíza de plantão, Manoelle Brasil Soldati Bortolon, também o proibiu de se aproximar da vítima caso seja solto durante as investigações do caso.

O homem não pode manter contato e nem citar nas redes sociais os nomes da mulher ou de familiares dela. As determinações valem até a conclusão do inquérito.

Neste fim de semana, o homem agrediu a mulher com um chicote em frente aos filhos pequenos dele. Na casa também estavam uma irmã, a filha e o genro da vítima. O agressor ainda teria desferido socos e pontapés contra a companheira. Depois a impediu de deixar a casa para buscar ajuda.

Uma testemunha chamou a Polícia Militar e o homem foi preso em flagrante por violência doméstica, enquadrado na Lei Maria da Penha.

Histórico

Há 15 dias a Polícia Civil cumpriu um mandado de busca e apreensão na casa do homem. Os agentes buscavam por armas de fogo, mas nenhum foi encontrada na residência. A ordem judicial era referente à denúncia de ameaça aos vizinhos.

Com informações do NSCTotal

Notícias Relacionadas

Criciúma segue determinação do Ministério da Saúde e reduz para sete dias o isolamento para infectados da Covid-19

A partir do início dos sintomas, o paciente deverá ficar em isolamento por sete dias, retornando às atividades após esse período, sem a necessidade do teste

Jovem é arrastado por 90 metros após acidente na BR-470 e motorista foge

PRF conseguiu identificar o condutor do carro e caso será enviado à Polícia Civil para abertura de inquérito

Carro bate em ciclista, mata idoso e motorista foge em SC

Acidente aconteceu por volta das 19h30 de domingo

Apesar da alta nos casos, SC tem menor taxa de letalidade por Covid-19 no Brasil

A taxa de letalidade considera o número de mortes em relação à quantidade de pessoas contaminadas