Geral

Larvas de Aedes Aegypti são encontradas no bairro Humaitá de Cima

As atividades do programa para o combate do inseto é diária

Divulgação

Foram encontradas em uma armadilha do Programa de Combate às Endemias, da Fundação Municipal de Saúde (FMS), no bairro de Humaitá de Cima um foco com 50 larvas positivas de Aedes Aegypti, mosquito transmissor da dengue, zika e chykungunia – na última quinta-feira (26). A equipe do programa alerta à população aos cuidados de prevenção.

O coordenador do programa, Hélio de Oliveira Júnior, explica que além dos trabalhos que fazem diariamente nas 300 armadilhas e nos pontos estratégicos a equipe fez no bairro com foco a vistoria em uma área de 300 metros para eliminar os possíveis criadouros do mosquito. “Neste ano tivemos seis focos confirmados, o primeiro registrado no dia 30 de janeiro, no bairro Vila Esperança e o segundo dia 16 de março, no Centro. Precisamos estar em constante cuidado, para que não aumente os números e saia de controle”, destaca Hélio.

Combate:

As atividades do programa para o combate do inseto é diária, são realizadas vistoria nas armadilhas de sete em sete dias e nos pontos estratégicos de 14 em 14 dias incluindo uma grande demanda de denúncias de possíveis focos. Para tirar dúvidas e fazer denúncias o programa funciona das 7 às 13 horas pelo número (48) 3621-9627.

A doença:

Aedes Aegypti é o inseto que ocorre em aéreas tropicais e subtropicais, transmissor do vírus da dengue, zika e chykungunia, quando infectado pela segunda vez o indivíduo infectado pode ter chances maiores de desenvolver doença grave.

Divulgação

Sintomas inciais:

Febre Alta

Erupções cutâneas

Dores musculares e articulares

Medidas preventivas:

Evite usar pratos nos vasos de plantas. Se usá-los, coloque areia até a borda;

Guarde garrafas com o gargalo virado para baixo;

Mantenha lixeiras tampadas;

Deixe os depósitos d’água sempre vedados, sem qualquer abertura, principalmente as caixas d’água;

Plantas como bromélias devem ser evitadas, pois acumulam água;

Trate a água da piscina com cloro e limpe-a uma vez por semana;

Mantenha ralos fechados e desentupidos;

Lave com escova os potes de comida e de água dos animais no mínimo uma vez por semana;

Retire a água acumulada em lajes;

Dê descarga, no mínimo uma vez por semana, em banheiros pouco usados;

Mantenha fechada a tampa do vaso sanitário;

Evite acumular entulho, pois ele pode se tornar local de foco do mosquito da dengue;

Denuncie a existência de possíveis focos de Aedes aegypti para a Fundação Municipal de Saúde;

Caso apresente sintomas, procure uma unidade de saúde para o atendimento.

Notícias Relacionadas

Serra do Rio do Rastro está interditada até a tarde deste sábado (16)

O motivo da interdição é a obra de contenção da encosta

“Após chegada da vacina, Estado irá enviar doses em até 24 horas aos municípios catarinenses”, reforça governador

O governador lembrou ainda que Santa Catarina já lançou o Plano Estadual de Vacinação, alinhado ao Governo Federal.

Problema da superlotação nos balneários é debatido entre o Poder Público e representantes da sociedade

Durante a reunião, que durou mais de duas horas, cada representante apresentou ponderações sobre a atual situação e possíveis soluções

Prefeitura de Orleans refaz drenagem que abriu cratera na comunidade de Rio Laranjeiras

Secretaria de Infraestrutura resolveu o problema na estrada e o trânsito já está liberado no local