Segurança

Mãe e padrasto são indiciados por abandono após menina cair de prédio em SC

Responsáveis pela criança falaram haviam deixado Luna sozinha no apartamento por 20 minutos, investigação apurou que por mais tempo

Divulgação

A mãe e o padrasto de Luna Victoriqui Jabotiero Carlota, criança de 5 anos que morreu ao cair do 4° andar de um prédio em Chapecó, foram indiciados por abandono de incapaz. Segundo informado pela Polícia Civil em coletiva nesta terça-feira (26), a investigação apontou que o casal deixou a menina sozinha em casa muito mais tempo que o afirmado.

Segundo o delegado responsável pelo caso, Éder Matte, os responsáveis pela criança falaram no dia do ocorrido que haviam deixado Luna sozinha no apartamento por 20 minutos. No entanto, a investigação mostrou que a mãe e o padastro ficaram fora de casa por aproximadamente uma hora.

O delegado descreveu a ordem dos ocorridos no dia 8 de abril.

— Foram buscadas imagens no supermercado, onde pode se constatar que a mãe chega ao mercado às 19h27 e sai do mercado às 20h20, então só ali deu 53 minutos, fora o deslocamento de ida e volta, e ainda se a gente considerar que eles ainda não tinham concluído o que iam fazer no local [porque a menina caiu] então o tempo de ausência teria sido maior ainda — contou Matte.

De acordo com o delegado, a causa da morte de Luna foi traumatismo craniano, causado pelo impacto da queda. Ele informou que o inquérito será enviado ao judiciário nesta terça (26). A pena prevista para o crime de abandono de incapaz, com resultado morte, pode variar de 4 a 12 anos de prisão.

O apartamento não tinha redes de proteção nas janelas. Conforme Matte, familiares contaram à polícia que a instalação da proteção não foi feita por questões financeiras. O delegado reforçou a importância da responsabilidade dos pais, de pessoas para rede de apoio à família e de destinar recursos para a segurança das crianças.

Relembre o caso

Uma criança de 5 anos caiu da janela do 4° de um prédio no Centro de Chapecó, no Oeste de Santa Catarina, na noite de 8 de abril. Segundo os Bombeiros, quando o socorro chegou ao local a menina já estava sem sinais vitais, mas foi conduzida ao hospital, onde foi confirmado o óbito.

Uma vizinha chamou pelo socorro. A menina foi identificada como Luna Victoriqui Jabotiero Carlota, conforme os Bombeiros. A Polícia Militar (PM) informou que a mãe da criança contou que ela e o marido foram ao mercado e teriam deixado a menina sozinha. O apartamento não tinha rede de proteção.

De acordo com os Bombeiros, a menina foi socorrida e encaminhada ao Hospital da Criança Augusta Muller Bohner, onde médicos tentaram reanimá-la mais de seis vezes antes de confirmar o óbito.

Com informações do NSCTotal

Notícias Relacionadas

Vereadores aprovam repasse de R$ 10 mil para a APAE de Lauro Müller

A sessão ordinária desta segunda-feira, dia 16, foi realizada sob a presidência do vereador Lindomar Cataneo.

Vereadores de Orleans aprovam gratificação a servidores membros de sindicância administrativa

A sessão ordinária foi realizada sob a presidência do vereador Pedro João Orbem nesta segunda-feira, dia 16.

Rio do Rastro Marathon é marcada por bicampeonatos, recorde e estreias

Atletas de 21 estados brasileiros se desafiaram subindo a Serra de SC em provas de corrida e ciclismo

Homem é preso com 186 kg de maconha na BR-101 em SC

Apreensão foi feita pela PRF e o motorista não soube informar o destino final da droga