Giro Estadual

Maior apreensão de maconha da história de SC recolhe R$ 53 milhões em drogas em Biguaçu

Ao todo, foram 24,5 toneladas de droga apreendidas pelas polícias Federal e Rodoviária Federal

Divulgação

A abordagem de um caminhão carregado com milho resultou na maior apreensão de maconha da história de Santa Catarina nesta sexta-feira (3), segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF). A abordagem do bitrem ocorreu por volta das 6h, em uma ação conjunta com a Polícia Federal, em Biguaçu, na Grande Florianópolis. Foram recolhidas 24,5 toneladas da droga, avaliadas em R$ 53 milhões.

Ao todo, foram encontrados 24.523 quilos de maconha. Eles estavam embalados em fardos e distribuídos entre os grãos de milho de um bitrem com placas de Imaruí, no Sul de Santa Catarina.

A abordagem do motorista ocorreu na BR-101, no sentido Sul de SC, para onde o caminhoneiro, um catarinense de 46 anos, informou que levaria o entorpecente.

Ao confirmar que havia ilícitos, o veículo foi levado até uma empresa de alimentos em São José, na Grande Florianópolis, onde houve a separação dos produtos. Cinco horas foram necessárias para separar a droga e finalizar a pesagem.

Conduzido até a sede da Polícia Federal em Florianópolis, o condutor foi preso em flagrante por tráfico de drogas, cuja pena vai de 5 a 15 anos de prisão.

Apreensão bate marca de ação em Rancho Queimado

Há pouco mais de dois meses, outra megaoperação apreendeu quase 25 toneladas de maconha, também em um caminhão bitrem, mas em Rancho Queimado. A ação ocorreu no dia 30 de junho.

A pesagem da droga apontou 24,2 quilos e atestou que era a maior quantidade apreendida no Estado até então. Os ilícitos, avaliados pela polícia em R$ 24 milhões, tinham Palhoça como destino à época.

Com informações do NSCTotal

Notícias Relacionadas

Motociclista morre ao colidir com carreta na SC-441 em Jaguaruna

Segundo a guarnição de bombeiros, o homem não resistiu aos ferimentos e morreu no local

Onze detentos são indiciados por envolvimento na morte de colega de cela em SC

Sete dos suspeitos foram indiciados pelos crimes de homicídio qualificado e fraude processual. Outros quatro vão responder por falso testemunho.

Revista Legislativa

Vilmar Guedes é eleito presidente do Criciúma até 2024

Ex-vice financeiro assume no lugar que era de Anselmo Freitas, que renunciou ao cargo; novo mandatário prega continuidade