Poder Executivo

Mais de 70 famílias serão beneficiadas com a regularização fundiária em Siderópolis

Os moradores que desejam participar do programa devem procurar a Secretaria de Habitação para mais esclarecimentos.

Foto: Divulgação

Das 250 famílias de Siderópolis que tiveram suas ações ajuizadas para regularização fundiária, 70 terão direito à escritura de seus terrenos ainda em 2018. Os demais proprietários aguardam sentença do juiz para receber o documento. Eles estão inseridos em um dos cinco loteamentos apontados pelo município para a regularização fundiária urbana por meio do Programa Lar Legal, que beneficia famílias proprietárias de imóveis sem escritura pública.

O relatório com as ações ajuizadas foi entregue na manhã dessa quarta-feira (5), ao prefeito Hélio Cesa, o Alemão, pelo técnico social Antônio Carlos Simião, da empresa SC Engenharia. “A ausência da escritura gera muitos transtornos aos moradores e a regularização pelo trâmite normal exige custos e muito tempo de espera. Nós buscamos facilitar esse processo e devolver dignidade aos proprietários”, destacou o prefeito Alemão, acrescentando que os loteamentos beneficiados foram Vida Nova e Vila Esperança. Os moradores que desejam participar do programa devem procurar a Secretaria de Habitação para mais esclarecimentos.

O programa

O Programa Lar Legal foi uma iniciativa do Tribunal de Justiça em conjunto com Governo do Estado, Assembleia Legislativa, Ministério Público e prefeituras. O objetivo foi à legalização de áreas urbanas ocupadas por famílias em situação de vulnerabilidade social. Ele deixou de conveniar novos municípios e áreas, mas as matrículas abertas serão mantidas até a finalização de todos os processos.

Colaboração: Comunicação Prefeitura de Siderópolis

Notícias Relacionadas

Com aperfeiçoamento constante, Associação de Apicultores de Orleans é destaque em Santa Catarina

Tribunal de Justiça catarinense confirma pena para empresário que vendeu pipoca com rato dentro em Criciúma

Uma das vítimas, após ingerir a pipoca, teve intoxicação alimentar aguda causada por alimento contaminado.

Tribunal de Justiça nega liberdade para homem acusado de usar até boneca vodu para aterrorizar sua ex

O homem desrespeitou as medidas protetivas concedidas anteriormente em favor da ex-companheira

Ex-secretário de Administração de Orleans e empresa tem bens bloqueados

Segundo o Ministério Público, Eduardo Bertoncini era responsável pela pasta na gestão do ex-prefeito Marco Antônio Bertoncini Cascaes