Geral

Memorial ao juiz Pedro Aujor Furtado Júnior é instalado no fórum de Criciúma

Divulgação

O fórum da comarca de Criciúma conta agora com mais um espaço dedicado à história e memória do Judiciário catarinense: a praça Pedro Aujor Furtado Júnior, nomeada em homenagem ao juiz falecido em julho de 2021. Por conta da pandemia, a realização de um cerimonial de inauguração foi inviabilizada, mas isso não tornou menos simbólico o encontro dos colegas com o tributo.

Surpreendido com a notícia de que a placa já estava instalada, o juiz Ricardo Machado de Andrade, titular da 2ª Vara Cível da comarca, em companhia do também colega e amigo juiz Rafael Milanesi Spillere e a convite deste, caminhou até o local e constatou a felicidade que teve quem escolheu a fotografia que orna a homenagem. Para ele, é desnecessário tecer comentários sobre a capacidade profissional e a inteligência superiores do amigo Pedro, pois tais qualidades, além de serem conhecidas de todos, eram notadas por qualquer um depois de poucos minutos de troca de ideias com ele. “Atenho-me àquele sorriso que está estampado em sua face.”

Andrade explica que conheceu o colega há mais de 20 anos e, em todas as vezes que se encontraram, as quais foram incontáveis e ocorriam diariamente, sempre encontrou o sincero sorriso e braços abertos para um fraternal abraço. “Não sei se um dia vou encontrá-lo novamente, mas, se isso ocorrer, serei recebido da mesma forma.” O magistrado afirma que ainda não teve forças para entrar no antigo gabinete de Pedro. “Ele está fazendo muita falta.”

Colega e também amigo pessoal do magistrado, o juiz Rafael Milanesi Spillere igualmente externa suas palavras com muita alegria e emoção, “em memória de tão singular ser humano”. Segundo ele, o magistrado entrou em sua vida, e acredita, na vida de milhares de estudantes de Direito, na função de professor na Esmesc, em 2002. Desde aquela época ouvia-se sobre sua capacidade intelectual e laboral. Mas, segundo ele, como não poderia ser diferente, como mestre Pedro Aujor apenas confirmou os atributos que lhe eram precedentes. “Contudo, não bastasse a designação como juiz e professor, a vida me permitiu tê-lo como amigo.”

Descrito como parceiro de todas as horas e profundo conhecedor do ambiente musical mundial, compartilhou com os colegas horas e horas de conversas e histórias no visitado gabinete da 2ª Vara da Fazenda Pública de Criciúma. “A todos recebia; a todos encantava e surpreendia com suas tiradas e frases que nos levavam a refletir sobre os mais variados assuntos. Sem dúvida, merecida a homenagem que se avizinha”. Acima de tudo, segundo Spillere, porque o ambiente onde seu nome se eternizará era seu preferido: aberto, arejado e sempre disposto a uma boa rodada de conversa. “O Pedro jovial é aquele registrado na feliz fotografia que ilustra o memorial. Vai com Deus, amigo, e dia desses ainda nos encontraremos.”

A praça Pedro Aujor Furtado Júnior fica em frente ao gabinete que pertencia ao magistrado, é frequentada pela comunidade durante o horário de expediente e pode ser visitada das 12h às 19h, durante o expediente forense.

Natural de Curitiba (PR), o juiz Pedro Aujor iniciou o exercício da judicatura em Santa Catarina em janeiro de 1998. Passou pelas comarcas de Videira, Blumenau, Araranguá, Sombrio, Jaraguá do Sul e, por fim, Criciúma, onde estava lotado na 2ª Vara da Fazenda Pública.

Notícias Relacionadas

Embarcação vira com quatro pescadores no Balneário Rincão

Ocorrência foi atendida pelo Serviço Aeromédico (Saer)

Covid-19: chega ao fim estado de emergência em saúde pública no Brasil

Segundo o governo, nenhuma política pública de saúde será interrompida

Homem de 57 anos é preso após tentar beijar menina de 11 anos à força, em Orleans

Fato ocorreu na Rua Aristiliano Ramos, na tarde deste sábado, dia 21.

Número de transplantes de rim caiu nos últimos dois anos

Sociedade Brasileira de Urologia lançou campanha para estimular doação