Geral

Mesmo com corte de emenda, maternidade do São Donato segue funcionando

Governo do Estado bloqueou R$ 180 milhões que seriam oferecidos aos hospitais.

Divulgação

Mesmo depois de o funcionamento da maternidade do Hospital São Donato ser garantido, recursos podem ser perdidos. Acontece que o deputado estadual José Milton Scheffer, coordenador da Frente Parlamentar em Defesa da Saúde Catarinense, havia disponibilizado uma emenda de R$ 180 milhões para os hospitais, questão que acabou bloqueada pelo Governo do Estado.

“Foi judicializado o nosso complemento para pagar junto com a maternidade. É a emenda do deputado José Milton que destinava R$ 180 milhões para a saúde. Com mais a emenda do deputado Rodrigo Minotto, nós iriamos completar e colocar até um valor maior para a maternidade”, comentou o diretor administrativo do São Donato, Julio de Luca.

A emenda de Zé Milton disponibilizaria 10% do Orçamento do Fundo Estadual de Saúde aos hospitais filantrópicos. De Luca pensa que Carlos Moisés vai se sensibilizar e é preciso já pensar no próximo passos. “Nós temos que virar essa página e começar a discutir os dez leitos de UTI. Essa questão da maternidade eu já considero resolvida”, comentou.

Essa emenda parlamentar garantiria mais de R$ 100 mil para o Hospital São Donato a cada mês. Mesmo sem estes recursos, o valor disponibilizado pelo deputado Minotto será suficiente para manter os atendimentos na maternidade, segundo o diretor administrativo.

Com informações do site 4oito

Notícias Relacionadas

Governo estabelece regras e autoriza funcionamento de segmentos da cadeia automotiva, implementos agrícolas e lavanderias

A medida faz parte das ações para garantir o convívio responsável com o novo coronavírus à medida em que o Estado vai fortalecendo o sistema público de saúde.

Vice-governador garante permanência do SAER em Criciúma

Grave acidente de trânsito é registrado na SC-445, em Içara

Coronavírus em SC: Portarias estabelecem normas para funcionamento de shoppings, academias e serviços de alimentação

As portarias com o regramento para esses setores estão publicadas em edição extra do Diário Oficial do Estado (DOE).