Geral

Montadora de carros elétricos demonstra interesse em parceria com Urussanga

Segundo o prefeito de Urussanga, Gustavo Cancellier, o grupo entendeu que o município tem potencial para a cadeia produtiva da empresa

Divulgação

Com a possibilidade de se instalar em um dos municípios da Região Carbonífera os representantes da empresa especializada na produção de carros elétricos, M3E3 Mobilidade e Energia, do Paraná, visitaram Urussanga com o objetivo de conhecer a cidade e fizeram contatos com o intuito de buscar parcerias para futuros negócios.

Segundo o prefeito de Urussanga, Gustavo Cancellier, o grupo entendeu que o município tem potencial para a cadeia produtiva da empresa. “Eles entenderam que Urussanga tem potencial dentro do ecossistema da indústria para participar ativamente na produção de alguns acessórios que estarão, diretamente, ligados à produção dos carros elétricos. Isso acontece, principalmente pela demanda que o município oferece no que diz respeito à questão metalmecânica, plástico e alumínio, produtos que estão vinculados ao projeto”, assinalou.

O vice-prefeito, Jair Nandi, comenta que toda a cadeia produtiva da montadora “vai gerar reflexos no sentido de encontrar em Urussanga fornecedores de alguns equipamentos, acessórios… Além do fator do desenvolvimento econômico voltado às tecnologias de inteligência da cidade do futuro, combinada com a questão da sustentabilidade e equilíbrio ambiental”. A visita aconteceu na semana que passou.

Notícias Relacionadas

AO VIVO: Tribunal julga Moisés pelo caso dos respiradores

A sessão acontece por videoconferência, devido ao risco apresentado pela pandemia.

Homem com faca e garrafa quebrada rouba estabelecimento e ameaça vítima de morte em Capivari de Baixo

Assalto ocorreu por volta das 16h30 desta quinta-feira, dia 6, na área central da cidade.

Cartão postal: As cores da Ponte Anita Garibaldi

Durante o mês de maio a iluminação da ponte de Laguna terá um espetáculo aos olhos.

Julgamento decide futuro do governador Carlos Moisés em 2º impeachment

Julgadores decidirão se Carlos Moisés cometeu crime de responsabilidade na compra fraudulenta de 200 respiradores; afastamento depende de sete votos.