Geral

Moradores de Criciúma aprovam programa e o Jogue Limpo com a Cidade já tem grande adesão

Iniciativa do Governo Municipal de Criciúma, por meio da Fundação de Meio Ambiente (Famcri), busca incentivar a reciclagem e a separação correta do lixo

Divulgação

Pioneiro entre os municípios da Região Carbonífera, o programa Jogue Limpo com a Cidade, já vem sendo procurado por moradores. A iniciativa do Governo Municipal de Criciúma, por meio da Fundação de Meio Ambiente (Famcri), tem o objetivo de incentivar a reciclagem e a separação correta do lixo para os mais de 217 mil habitantes do município. Atualmente, apenas 40% dos resíduos recolhidos na ação da coleta seletiva são aproveitados, os outros 60% são descartados por corresponderem a materiais não-recicláveis.

O cidadão que aderir ao programa poderá reduzir a Taxa de Coleta e Destinação de Resíduos Sólidos (TCDRS) em até 50%. A orientação é que cada tipo de material seja depositado limpo individualmente em sacolas e dirigido a um dos 13 Pontos de Entrega Voluntária (PEVs) que já se encontram em funcionamento. Estão situados nos Parques das Nações Cincinato Naspolini, dos Imigrantes e Municipal Prefeito Altair Gudi e nas Intendências do Rio Maina, Santa Luzia e Quarta Linha.

No local, o coletor irá pesar, verificar e informar o valor dos itens. “Nós deixamos cadastrado no sistema para ter um controle absoluto de que todos os materiais coletados sejam dirigidos ao local de destino, o Econponto”, destacou o gerente do Ecoponto e gestor do projeto, Dhido Serafim. Caso o morador atinja um valor além do que precisa para receber os 50% de desconto, o restante ficará acumulado para a próxima cobrança. É possível acompanhar o próprio saldo e outras informações pelo aplicativo 5R, disponível na App Store e Play Store. Para isso, basta se cadastrar com o número do imóvel.

Ecoponto

Os resíduos serão destinados ao Ecoponto, onde existem duas cooperativas responsáveis pelo reaproveitamento dos materiais que servem como matéria-prima para um novo produto. A intenção é que o município consiga reciclar 200 toneladas de lixo por mês.

Atualmente, os catadores que trabalham no local, precisam separar cada resíduo para identificar se pode ser reutilizado ou não. Os lixos recicláveis que são descartados incorretamente, como por exemplo, com restos de comida, perdem a serventia e precisam ser jogados no aterro aumentando ainda mais os custos do serviço. “Dessa forma, será positivo não só para o meio ambiente, mas também para a encomia da nossa cidade, principalmente o trabalho dos nossos profissionais que perdem muito tempo nessa etapa”, destacou Dhido Serafim

Notícias Relacionadas

Escola inclusiva: Centro Educacional Meta se torna a primeira escola bilíngue da região Sul de SC

O principal motivo para a implantação do ensino da Língua Brasileira de Sinais (Libras) no Meta é buscar a inclusão da comunidade surda na sociedade.

SES vai investigar casos de adolescentes que receberam vacina sem autorização

Segundo a SES, o recomendado é que os municípios, caso tenham utilizado vacina sem autorização, registrem como caso adverso por erro administrativo.

Braço do Norte em busca de mais recursos em Brasília

O prefeito em exercício de Braço do Norte, Ronaldo Fornazza, retorna de Brasília nesta quinta-feira, 16, com novidades para o Município.

Suspensão da vacina para adolescentes revolta gestores da saúde de SC

Secretários municipais falam em "picuinha" do ministro e apontam para a falta de dados técnicos para suspender a vacinação deste grupo.